27 de fev de 2009

Generosidade...


O nosso trabalho desta semana seria a continuação no artigo com o tema “Energias”, mas o Universo conspirou, favoravelmente, para nós e nos trouxe uma convidada mais que especial. Especial pela sua generosidade de espírito, de idéias, por ser uma pessoa iluminada que contribui com o seu conhecimento para que todos nós possamos, igualmente, encontrar o caminho do bem...

Reconhecemos uma alma generosa pelos pequenos gestos e atitudes que espalha ao seu redor, em silêncio, sem alardes. Existem muitas almas generosas anônimas, que com seus pequenos atos enriquecem e abrilhantam a vida dos seus semelhantes. Há aquelas generosas almas como Martin Luther King, Nelson Mandela, Ghandi, Irmã Dulce, Madre Tereza de Calcutá, Betinho e muitos outros, que se dedicaram, incansavelmente, em amenizar o sofrimento de muitas pessoas. Tomar uma atitude generosa nos faz retomar à nossa verdadeira essência, de compartilhar, de trocar energias de pura luz e amor.

Sonia Café em seu “Livro das Atitudes”, pág.27, nos aconselha a tomarmos uma atitude generosa:

“Tudo na Natureza é espontaneamente generoso. Podemos ser generosos na ação, no sentimento e no pensamento. Quando agimos generosamente, partimos de uma consciência de prosperidade e abundância, na qual a ênfase está na qualidade e não na quantidade. Quando sentimos generosamente, nossa doação é espontânea e invisível. Quando pensamos generosamente, compreendemos que a alegria de dar e a capacidade plena de receber são partes de uma única dádiva.”

Então, foi com esse desprendimento, que uma alma generosa, Vera Ghimmel, em meio aos seus tantos afazeres, aceitou o nosso convite para escrever um artigo para o nosso pequeno espaço, compartilhando os seus pensamentos e conhecimentos. É tempo de compartilhar aquilo que temos de melhor em nós com os nossos companheiros de jornada. Ela sabiamente nos brinda com o artigo “É tempo de se unir”.

Obrigada Vera, pela sua atitude magnânima de nos visitar e fazer parte da construção do nosso espaço, que agora, também, fica sendo seu.

Amigos: é com coração pulsando de alegria e gratidão que apresentamos, logo abaixo, o texto e perfil de Vera Ghimmel. Confiram! É tempo de se unir

Abraços fraternos,

Simone Anjos

Literatura Indicada:
Café, Sônia – O Livro das Atitudes.

Imagem: http://pt.dreamstime.com/free-images

É TEMPO DE SE UNIR



*Vera Ghimmel

Com a sinalização de que nada será como antes, precisamos repensar e recomeçar um novo relacionamento entre todos os seres da Terra. Estávamos acostumados a interagir com as regras milenarmente conhecidas que nos agrupavam por gostos, conhecimento, afinidades, interesses, nacionalidade, raça, credos, medos e até subserviência. Agora as regras serão outras e estarão regidas pela sintonia dos nossos espíritos.

Não seremos julgados e nem rejeitados por não correspondermos aos padrões sociais equivocados que por muito tempo manteve a humanidade separada em lotes. Não seremos olhados e rotulados por não sermos jovens, ou belos, ou ricos ou frequentadores dos locais que a moda indica como “in”. Não seremos mais admirados ou bajulados pelo carro esporte, pela conta bancária, pelas pessoas que frequentam a nossa casa, pelo poder ou pela ambição.

Quem se construiu pelo valor de sua realização e talento, pelo amor incondicional, pela capacidade de compaixão por si e pelos outros, pela naturalidade e simplicidade, estará em condições reais de seguir adiante e ainda ajudar aqueles que estão na mesma jornada.

Bem-vindos aqueles que vieram para fazer o lindo planeta Terra uma morada de amor e de liberdade!

*Perfil: Vera Ghimmel
terapeuta holística
numeróloga cabalista
espiritualista
0 XX 21 3208-5508
0 XX 21 9696-2775
articulista do site
http://somostodosum.ig.com.br/f.asp?i=902
www.somostodosum.com

Imagem:http://pt.dreamstime.com/free-images

19 de fev de 2009

Professor Adão Duarte, nosso ilustre convidado.


É com muita honra e responsabilidade que recebemos o professor Adão Duarte para postar em nosso blog. Temos muito orgulho em recebê-lo aqui, para somar e enriquecer nosso espaço virtual com a sua experiência e repertório de vida que adquiriu no caminho da Senda.

A nossa responsabilidade aumenta porque a presença do seu artigo postado nesse espaço indica que ele acredita em nosso trabalho, na proposta aqui apresentada. Parafraseando Saint-Exupéry, “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. Então, esta passa a ser nossa maior responsabilidade, CATIVAR. Cativar o professor Adão, para que ele continue a nos brindar com os seus artigos, cativar a nossa primeira convidada, Elaine Reis, para que ela retorne, cativar os nossos amigos que nos visitam sempre, cativar você, leitor e internauta desse mundo, sem fim, da virtualidade.

Agradecemos ao Professor Adão por ser nosso irmão espiritual nesta jornada que se chama Vida, que nem o espaço, nem o tempo conseguem apagar as nossas marcas...

Por falar em tempo, esse é o tema abordado pelo nosso convidado: “O tempo e a falta de tempo”. Esse artigo foi extraído de um livro publicado pelo professor Adão há alguns anos, porém, é atualíssimo nesses “tempos sem tempo” em que vivemos. Na correria que não nos leva a lugar algum, perdemos a oportunidade de celebrar as coisas mais simples e melhores da vida:

o ócio produtivo,
um banho demorado,
ouvir a música preferida,
passar bons momentos na companhia de um bom livro, de um filme de humor, de degustar um bom vinho...
perdemos a oportunidade de,
jogar conversa fora com um amigo ou simplesmente ficar em silêncio ao seu lado...
de passar mais tempo com as pessoas que amamos,
quantas coisas perdemos...

Para completar esta reflexão sobre o tempo e a falta de tempo, reproduzimos na íntegra um pequeno motivacional que recebemos intitulado: “Reserve tempo”.

“Reserve um tempo para rir. Esta é a música da alma.
Reserve um tempo para ler. Esta é a base da sabedoria.
Reserve um tempo para pensar. Esta é a fonte do poder.
Reserve um tempo para trabalhar. Este é o preço do êxito.
Reserve um tempo para divertir-se. Este é o segredo da eterna juventude.
Reserve um tempo para sonhar. Este é o caminho para chegar às estrelas.
Reserve um tempo para amar. Ser amado é privilégio do ser humano.
Reserve um tempo para a oração. Este é o caminho para a felicidade.”

(Comunidade DiabeteNet.com.br)

Gostamos desse artigo porque nos faz lembrar que Saturno, o senhor e mestre do tempo, impinge duras lições naqueles que não sabem reservar tempo para plantar as boas sementes e colher no tempo certo. No artigo postado abaixo, o professor Adão nos presenteia com uma bela citação sobre o tempo certo para cada coisa e fases da vida.

Confiram, o artigo e perfil do nosso convidado, professor Adão Duarte. O Tempo e a falta de tempo
Beijos na Alma
Simone Anjos.
Imagem:http://pt.dreamstime.com/free-images

18 de fev de 2009

O tempo e a falta de tempo


Adão de Assunção Duarte*

Suposto que o espaço seja a distância entre dois pontos, o tempo é o espaço entre dois fatos, a “espera” entre dois eventos.

Entretanto, pela Teoria da Relatividade, “o tempo e o espaço em si reduzem-se a meras sombras e só uma espécie de inter-relação entre ambos dá um caráter de independência”.

Uma das mais belas páginas da literatura universal lembra o seguinte:

Tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer,e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar , tempo de derribar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir,tempo de prantear, e tempo de saltar; tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras, tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de deitar fora; tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de aborrecer; tempo de guerra, e tempo de paz”...(Salomão, Eclesiastes, 3:1-8).

Os membros da sociedade contemporânea precisamos usar bem e dominar carinhosamente o tempo, de modo racional, pois do contrário ele nos domina e nos devora, como Saturno a seus próprios filhos. Por outro lado, a chamada “falta de tempo” significa, quase sempre, uma desorganização de nossa parte, quando não preguiça e negligência. E isso dizemos porque, muitas e muitas vezes, é possível fazermos mais de uma coisa ao mesmo tempo, e a vida cotidiana está cheia de exemplos claros e práticos.

A sociedade de consumo e de competição atual mostra as pessoas usando o tempo para mais de uma coisa ou assunto, como sejam: estudar viajando ou viajar estudando, dirigir fumando ou fumar dirigindo, dirigir celularizando, ler na fila, amar na fila, falar comendo ou comer falando, fazer dois cursos, médios ou superiores, ao mesmo tempo etc. Na zona rural, cantar capinando, capinar cantando, São estes alguns exemplos apenas para ilustrar. Claro que não se pode fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mas algumas, pois de outra forma poderíamos cair no abuso mencionado no conhecido ditado popular que leciona “o homem dos sete instrumentos não toca bem nenhum”!

Se organizarmos racionalmente nossas atividades, poderemos ter mais tempo e aproveitaremos aquilo a que aqui chamaremos o intertempo, o somatório dos intervalos ou “espaços” entre dois ou mais “tempos”... Sentimos, assim, que o tempo comporta estudo filosófico, sociológico, funcional e profissional. Não é sem razão que que surgiram disciplinas como a Cronoanálise, Cronologia em nosso mundo.

De qualquer modo, temos de valorizar bem o tempo, inclusive o tempo de lazer sadio, como já o fizera Laurindo Rabelo, em seu belo e conhecido soneto A Conta do Tempo, cujos tercetos lecionam:

“Ó vós que tendes tempo sem ter conta,
não gasteis esse tempo em passatempo,
cuidai de enquanto é tempo fazer conta...

Mas ah! Se os que contam com seu tempo,
fizessem desse tempo alguma conta,
não choravam como eu o não ter tempo”!

Por sua vez, o saudoso Constâncio Vigil, em sua Terra Virgem, escrevera com notável elegância:

“O tempo, como o vento, seca as lágrimas. Como a água, tudo devolve. Como o fogo, reduz as coisas a cinzas. Como o sol, tudo esclarece. Aclara o confuso, descobre o recôndito, encontra o perdido, reconcilia os inimigos, Poe a prova o amor e a amizade, cega e confunde os ambiciosos, abate o orgulho, extingue as paixões, dá conformidade. Quem se joga contra ele, terá o malogro. Quem o aguarda, torna-se poderoso e o quem o toma como aliado, estabelece comércio com a Sabedoria”.

Aqui, portanto, a nossa homenagem ao bom uso do tempo e sem se esquecer o precioso tempo do lazer, do esporte e do descanso, ao lado do tempo de atividade para todos. Nosso esforço também neste pequeno estudo, é no sentido de abrir perspectivas de mais valorização e melhor análise e do tempo, respeitando também os variados pontos de vista dos demais seres humanos.

*Perfil:Duarte, Adão de Assunção. Crônicas de um Migrante, pp. 14/16,São Paulo: EDICON, Editora e Consultoria Ltda, 1990 (edição esgotada). O autor é Juiz Federal aposentado, Advogado, Professor Universitário. Autor de diversos artigos publicados em jornais de grande circulação na capital baiana.

Leia outro artigo do autor:
Deus e o Universo

Imagem:http://pt.dreamstime.com/free-images

12 de fev de 2009

Energias. Parte I


Ao longo da minha vida tenho percebido como as “energias” atuam sobre as pessoas. Eu mesma já fui “vítima”* de energias intrusas, muitas vezes estava me sentindo bem e, repentinamente sentia-me como se estivesse murchando, ficava triste, sem ânimo. Isso sempre me intrigou. Com o passar do tempo, através da literatura, tomei conhecimento da ação das energias intrusas, campos e pontos energéticos.

Em um dos muitos livros que li, sobre o assunto, descobri que há mais de 40 anos, o Professor de Física, Newton Milhomens desenvolve experimentos na área de Parapsicologia e com a ajuda de uma máquina Kirlian** (kirliangrafia) pôde observar que certas características surgem constantemente no halo luminoso, indicando se a pessoa encontra-se em perfeito estado de saúde, físico ou psíquico, ou se está com algum distúrbio.

O processo Kirlian não é destituído de fundamentos científicos, muito antes de o Professor Milhomens pesquisar o fenômeno, houve outros estudiosos do efeito.Em 1777, o alemão George Christopher Lichtenbe obteve, através de eletricidade estática, imagem de poeira, chamada de eletrográfico, citamos também, o croata Nikola Tesla que em 1880, fez uma demonstração pública de halo luminoso em redor do corpo humano ao ser exposto a um campo eletromagnético de alta voltagem e freqüência. Todavia, são os russos os maiores aficionados nas pesquisas, em 1939, o russo Semyon D. Kirlian, inventa a máquina que recebe o seu nome e desenvolve pesquisas sistemáticas e cientificas com o apoio de outros cientistas soviéticos. Poderíamos relacionar muitos e muitos outros pesquisadores do assunto, demonstrando a relevância do trabalho, porque as críticas e barreiras encontradas pelos precursores foram muitas.

Como diz o professor Milhomens, “existem (...) pessoas preconceituosas, que se acostumaram a pensar e raciocinar de uma única maneira, avessas sequer à idéia da introdução de qualquer assunto novo e que preferem permanecer no “estabilishment” ou no “status quo”. É uma pena, que ainda estejamos tão ligados aos sentidos primários. Aquela máxima, ver para crer.

Muitos indicadores de caminho já passaram por isso, foram incompreendidos e hoje a ciência moderna os reconhece como “mentes brilhantes”, outros, porém, preferem chamá-los de “homens cosmo- conscientes”

Exemplos desses homens fizeram história em diferentes partes do planeta, dentre eles, citamos: Jesus, Buda, Krishina, Mahatma Gandhi, Lao-Tse, Pitágoras, Platão, Isaac Newton, Albert Einstein, Leibniz, Galileu, Descartes... Aqui eu cometo o pecado de interromper a lista, pois outros nomes brilhantes integrariam este rol. Cada um com a sua importância e contribuição para a evolução do Ser e da Vida.

As críticas e discussões são muitas acerca do fenômeno Kirlian, porém estudos realizados por algumas instituições de pesquisa como: o Centro da Saúde da Universidade de Salford, na Inglaterra; Cultura Física de São Petersburgo e Centro de Radiologia de Abteilung, na Alemanha, mostraram resultados significativos.

O professor Milhomens afirma que “o halo energético fotografado pela máquina Kirlian é dinâmico, varia de cor, de tamanho, de aspecto e de forma, consoante a pessoa em questão esteja alegre, triste, amorosa, odienta, saudável, doente, cansada, descansada, conflitada, angustiada, etc.”

Ao fotografar o campo energético de uma pessoa, verifica-se que as cores captadas indicam as emoções do indivíduo exposto à máquina, ora, já é sabido pelos holísticos que o corpo emocional carrega os nossos sentimentos, emoções e peculiaridades do caráter. As nossas emoções e pensamentos influem diretamente no corpo físico e que muitas doenças, primeiro, manifestam-se psicossomaticamente nos corpos mental/emocional, caso não sejam diagnosticadas e tratadas em tempo, irradiarão para o corpo físico. Estamos admitindo agora, o que os chineses, hindus, japoneses e outros povos antigos já sabiam há muito tempo.

A ciência moderna já provou que o Universo é formado por energia, mas, há outras formas de energia mais sutis que permeiam todos os seres vivos, essas energias chamadas de “prana” pelos hindus, “ch’i” pelos chineses, “ki” pelos japoneses e na Bíblia “maná”, ou comumente conhecida por “Energia Vital”. Essas forças atuam sutilmente no corpo físico, através de um intricado sistema de energia que é formado por: corpos etéricos /energéticos; chakras (pontos de energia em nosso corpo) e nádis (canais energéticos).

No próximo artigo vamos ver a importância de mantermos esse sistema de força energética em harmonia para termos saúde, vitalidade e bem estar, contrariamente, quando estamos com qualquer um dos elementos citados em desequilíbrio, nos causam distúrbios físico, psíquico e mental.

Termino este ensaio com um pensamento aludido a Einstein:

Solicitaram a Albert Einstein que ele definisse "luz". “O que é a luz? Einstein, em dos seus sublimes momentos de inspiração, respondeu:
- A luz é a sombra de Deus...


Então, imaginem quanta energia há em Deus?

Beijos na Alma,

*Vítima: Não há vítimas, nós permitimos ou atraímos tudo o que nos acontece, conscientemente ou não.
** Kirlian: Câmara especial que fotografa a aura ao redor do corpo humano

Literatura indicada e pesquisada:

Milhomens, Newton - Parapsicologia o Modelo Energético do Homem - O efeito Kirlian.
Rohden, Humberto - Einstein - o Enigma do Universo
Sharamon Shalila & Baginski - Chakras - Mandalas de Vitalidade e Poder.
Junior, Ademir Barbosa - Transforme sua Vida com o Reiki - Guia prático de curas e iniciações.

Imagem: www.publicdomainpictures.net

6 de fev de 2009

Toque do Anjo está em festa com a nossa primeira convidada...


É com muito prazer e orgulho que damos as boas-vindas e recebemos Elaine Reis, nossa primeira convidada, para postar em nosso blog. Com a sua sensibilidade, ela nos convida à reflexão sobre o que é ser diferente. Como podemos discriminar o próximo por ser diferente de nós, no que tange a cor, a cultura, religião, aparência física, pensamentos e idéias?

Elaine consegue transmitir de forma equilibrada, porém com a paixão da sua vivência, susceptível à espiritualidade, ao assistir “Energia Pura” (Powder), filme sobre um jovem fisicamente estranho, que é rejeitado e perseguido pelos colegas, possui um misterioso dom, que o leva a fazer coisas extraordinárias. O jovem desmascara a sociedade ao seu redor, explicita a tristeza, o mundo vazio e falso das pessoas que o rodeiam, como elas vivem, sem sinceridade, falta de tolerância e de fraternidade. Essas pessoas vivem em um mundo de medo de si mesmas.

Tanto o filme “Energia Pura” quanto o artigo de Elaine, nos convidam a abrirmos as cortinas que lacram todas as janelas das possibilidades para o novo, o diferente. Nós fechamos as janelas da abundância que nos rodeia, ao negarmos que podemos aprender com as diferenças, com o outro. Não adianta nos trancarmos em redomas de conveniências, nos relacionando com os nossos velhos amigos, parentes, conhecidos de sempre, com medo do inesperado, do diferente.

Elizabeth Clare Phophet escreveu: “use todos os encontros e situações como oportunidades de crescimento. A vida é um espelho. As pessoas e as circunstâncias refletem de volta para nós os problemas que temos que solucionar.”

Percebem, então, a questão? A questão é: deixar sempre a fresta da porta aberta para o outro, o novo, o inesperado, o diferente, só assim podemos crescer; remover o desejo de receber somente para nós mesmos aumenta a consciência da alma global, pois somos todos um. Michael Berg afirma: “cada vez que um de nós revela mais a sua natureza divina, isso influência o Ser coletivo”.

Isso chama-se “Energia Pura”.

Confiram na postagem abaixo, o artigo e perfil da nossa convidada:
O Filme Energia Pura sob a ótica de Elaine Reis


Literatura indicada:

Phophet, Elizabeth Clare- A espiritualidade em prática: Como enriquecer a vida diária, com mais paixão, criatividade e equilíbrio.

Berg, Michel- Tornar-se como DEUS a Cabala e nosso destino final.

Imagem:www.mensagensparaamigos.com.br

Energia Pura sob a ótica de Elaine Reis


A proposta do Toque de Anjo é levar até você, de forma sutil, a percepção de que os anjos estão ao nosso redor, alguns por tempo indeterminado, outros por um curto espaço de tempo, outros nos virão através dos sonhos, da pintura, da música, de um filme, de um grande amigo, de uma profunda oração, enfim... Se existe algo que podemos fazer para sentir essa presença divina é: abrir o coração, nos permitindo enxergar além dos cinco sentidos, desta forma, poderemos abraçar as surpresas que o mundo nos reserva.

O texto a seguir trata disso, desse anjo que caiu do céu na vida de algumas pessoas e, conseqüentemente, das ondas que esse Tsunami fez chegar ao coração de cada um. Espero que vocês vejam o filme e voltem aqui para opinar sobre o que acharam, a opinião de cada um abrirá espaço para muitas reflexões.

Energia Pura

Me senti órfã depois do filme. Sabe quando você encontra alguém muito bom e você quer tê-lo por perto, quer cuidar desse alguém? Não abandoná-lo com a falsa ilusão de poder cuidar ou dar o melhor a ele? Quanta ilusão!! Se tivéssemos esse privilégio de termos essa pessoa ao nosso lado é porque quem mais precisaria desse alguém seríamos nós, quem iria aprender com ele seríamos nós, quem iria se lembrar sempre dele seríamos nós. Fiquei emocionada ao ver o filme que é uma breve história sobre a nossa concepção de vida aqui na terra, sobre os nossos preconceitos, rejeições, inadequações, diferenças, aceitações, enfim, o velho drama da humanidade. Mas, essa breve história de Jeremy me tocou muito porque me fez lembrar de Jesus, de Gandhi, de Madre Tereza, de todas àquelas pessoas quase deuses que amaram demais e nós não os entendíamos direito.

Sempre o amor, é por isso que apesar de todas as atrocidades que acontecem no mundo, ainda dá pra acreditar que tudo está como deve ser, que estamos aqui pra vivenciarmos essa era, essa forma, essa maneira de viver e quando tudo acabar (se acabar?) estaremos diferentes (talvez outros corpos, outros planetas, outras capacidades, competências, sei lá), mas, ainda vivos, afinal, tudo se transforma.

Existem alguns aspectos da condição humana que são extremamente difíceis de serem alcançados, um deles é a consciência da unicidade; como nos fazermos entender? Mas, será que é isso que devemos fazer? A resposta certa é não, cada um tem um tempo diferente pra perceber as coisas, cada um tem uma experiência divina diferente, cada um é todos e todos é cada um, é totalmente paradoxal, mas é incrível e maravilhoso saber.

Como será que se sentiram eles, os nossos exemplos de vida com a grande experiência de amar tão profundamente o próximo sem serem entendidos, como eles conseguiam contornar tudo e ainda assim, diante da nossa incapacidade de perceber o todo, como eles tiveram paciência conosco? Como podemos amar tão pouco, usar tão pouco o cérebro a serviço do bem, a serviço do bem maior? Como tantas coisas podem acontecer sem termos feito nada para impedir? Como tanta coisa?...

Mas aí, basta uma pequena centelha para sentirmos algo mais, para começarmos a abrir os olhos, a enxergarmos um pouquinho com a alma imortal, transcendente, mutante, caótica, livre, incontinenti, universal, e eis que então, algumas mudanças se processam.

Esse despertar que pode ser advindo de qualquer fonte (filme, conversa com o amigo, profissionais, enfim) nos ocorre como o primeiro passo a caminho do infinito, se vamos deixar de sentir medo, angústia, dor... Bem, isso eu também não sei, espero chegar lá para saber, mas que tudo isso toca o coração de maneira extraordinária e faz você se sentir uma outra pessoa... Bem, isso faz. Então, vamos abrir o coração e enxergar o mundo de maneira diferente.

Um Feliz Olhar Diferente para Todos.
Grande abraço,
Lane Reis

Perfil:
Elaine Reis é Relações Públicas, graduada pela Universidade Católica do Salvador; amante da literatura mundial, de muitos, muitos filmes, de estar com os amigos e, acima de tudo, do bem-estar, individual e coletivo.
Aquariana nata, apreciadora do sol, da liberdade e dos ideais que movem a humanidade rumo ao crescimento e à transcendência.


Filme Indicado:
Energia Pura (Powder).
Leia também o artigo: O curioso caso de Benjamin Button, o filme.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anjos do Toque

Toques Iluminados e Amigos