29 de mai de 2009

O homem que não sabia rezar.

Essa é uma história que autora Fátima Irene ouvia quando criança.

Conta-se que um velho circense, após ter sido despedido do circo ao qual dedicara toda a sua vida como malabarista, vagueou sem rumo à procura de quem lhe desse emprego e abrigo.

Não era fácil, afinal não desenvolvera outras habilidades, não era mais jovem, tampouco sabia ler e escrever.

Após muitos meses perambulando e já doente, bateu à porta de um Mosteiro, encontrando a caridade dos monges que o recolheram e dele cuidaram até que sarasse.

Sua tarefa passou a ser cuidar do jardim, o que ele foi aprendendo com algum esforço. Todavia, algo o incomodava.

Ao observar a rotina dos religiosos, os cantos, as orações em Latim, sentia-se triste por não poder acompanhá-los. Ele também queria orar e cantar hinos de louvor ao Deus da sua compreensão.

Mas como?

Não tinha palavras certas, sentia-se rude e indigno de adentrar a Capela.

Como poderia ele falar do seu amor por Jesus, cuja imagem se destacava majestosa ao fundo do Santuário?

Certo dia, esperou que todos se recolhessem, tomou todos os seus aparatos circenses e acercou-se da linda imagem do Mestre na Capela.

Começou a fazer a única coisa na qual ele era exímio... à sua volta, arcos, bolas, pratos e punhais subiam e retornavam as suas mãos em movimentos perfeitos.

Ele esperava o milagre de ver o semblante do Senhor, um leve sinal de que a sua prece – embora incomum – estava sendo recebida.

E foi persistindo nos seus malabarismos como se executasse a mais linda canção de louvor, sem dar-se conta do tempo, nem do suor que já escorria abundante por todo o rosto.

Os Monges, ao notarem os estranhos ruídos vindos da Capela, levantaram-se com cuidado receando tratar-se de algum meliante.

Todavia, quando chegaram à porta, pararam estupefatos diante da cena que presenciaram.

É que neste exato momento. O Senhor inclinava-se e, com o manto, enxugava o suor daquele homem simples que não sabia rezar, mas que não obstante, rezara com todas as forças do seu coração!

Autora: Fátima Irene.

A minha mensagem:

Converse com Deus da sua maneira, com as suas palavras. O Criador não quer fórmulas prontas, ELE quer o seu coração, do jeitinho que você é.

Beijos na Alma
Simone Anjos
Imagem: www.dreamstimefree.com

26 de mai de 2009

Crianças Índigo


“A energia dos Indigo é uma energia de ruptura com antigas formas de ensinar. (...) Obriga-nos a questionar as coisas, a mudar a forma como procedemos e ate a forma de vivermos, com vista a um maior crescimento e progresso.” (Prof. Dra. Maria Antónia Jardim)Fonte:http://www.casa-indigo.com

Temos aberto o nosso espaço para escrever sobre as crianças índigo. Nos anos 70 aproximadamente, psicólogos, psicoterapeutas e pedagogos perceberam em diversas partes do planeta a presença de uma geração de crianças hiperativas, rebeldes que logo “diagnosticaram” como crianças necessitadas de cuidados médicos. Anos depois, outros psicólogos chegaram à conclusão de que se trata de uma geração espiritual e especial que vem ajudar a humanidade no momento de grande transição e de expiações no mundo. Segundo a doutora Nancy Ann Tape, dá-se o termo “criança índigo” porque essas crianças possuem uma aura na tonalidade azul que lembra a dos blue jeans. Esse termo também foi popularizado por Lee Carroll que as descrevem como crianças que portam capacidades intelectuais e comportamentais peculiares como: não adaptação aos métodos de ensino tradicionais por estarem muito “adiantadas” em relação aos colegas e professores, possuem conhecimentos precoce de antigos momentos da história da humanidade, lembranças de vidas em outras “dimensões”, habilidades para falar diferentes idiomas, dons para a arte, música, medicina, cura, ajudar aos menos favorecidos e outros.



(...)Estas crianças trazem instalada no seu corpo, vinda do plano da alma, uma voltagem muito mais alta do que as gerações anteriores. Aquilo que, para nós, eram momentos de inspiração, de activação, de electrificação, experiências de clímax, é o estado básico, pelo menos no sentido vital, destas crianças. Elas nascem super-animadas, saturadas de uma vibração anímica. (...) os Índigo trazem, activado neles, um sistema energético compatível com esta saturação de energia. Trazem um sistema de acumulação, de fixação e transporte de energia, diferente do nosso sistema comum, o que fez com que a Medicina os classificasse como portadores de desordem, de hiperactividade, atenção e concentração. Eles, porém, estão a processar dias em minutos, porque a Terra “já só tem minutos”. Eles são uma emanação espontânea da Mãe Terra como se a Mãe Terra dissesse: “As próximas centelhas de luz a encarnar têm de vir superiormente artilhadas com uma resposta energética”. (Fonte: Casa Índigo)


Encontramos rica literatura (em outros idiomas) que discorre sobre essas crianças, mas apenas citamos três livros: "A Nova Geração: A visão Espírita sobre as crianças índigo e cristal", de Divaldo Franco e Vanessa Anseloni; “Crianças Índigo: Uma Visão Espiritualista” da autoria de Rosana Beni; Crianças Índigo de Jan Tober e Lee Carroll.

Nos livros citados, os autores nos esclarecem sobre essas crianças; por exemplo, Rosana Beni afirma que a maior parte das crianças nascidas nos últimos 20 anos está encarnando com o “DNA de alma” modificado. São essas crianças que vão comandar uma nova terra, resgatando os valores humanitários. A autora cita alguns fatos reais.

Jan Tober e Lee Carrol em seu livro “Crianças Índigo” nos alertam que essas crianças preparadas na espiritualidade estão nascendo por toda a parte e têm como missão ajudar a construir um “mundo novo”.

Divaldo Franco nos apresenta ensinamentos sobre essa nova geração de espíritos reencarnados, nos trazendo esperança de um mundo melhor.

Esse pequeno ensaio nos conforta em saber que Deus ainda acredita na humanidade. Fazendo renascer aqui em nosso planeta “seres iluminados” que podem mudar o destino da Terra.

Beijos na Alma,

Simone Anjos


Bibliografia Indicada:

Franco, Divaldo e Anseloni, Vanessa: A Nova Geração: A visão Espírita sobre as crianças índigo e cristal.
Beni, Rosana: Crianças Índigo - Uma Visão Espiritualista.
Tober, Jan e Carroll, Lee: Crianças Índigo.
Guerra, Tereza: Crianças Índigo e Cristal.

Links para artigos relacionados ao assunto:
Akrit Jaswal, um ser iluminado
Boriska Borelli - Criança Índigo
Akiane Kramarik
Crianças Índigo
Imagem: http://www.dreamstime.com/

Akiane Kramarik









"Eu tenho sido abençoada por Deus. E se eu sou abençoada, há uma razão e uma razão apenas, que consiste em ajudar os outros."








Akiane é uma delicada menina que desenha talentosamente desde os 5 anos de idade. Projetou-se internacionalmente ao ser convidada por renomados programas americanos, como o de Oprah “The Oprah Winfrey Show”.

Dons

Além da pintura, Akiane se destaca na poesia e pela sua habilidade de falar russo, lituano, inglês e de se comunicar através da linguagem dos sinais. Todos esses talentos, para ela, advêm de Deus.



A transformação

Nascida em uma família de ateus, Akiane os converteu em seguidores de Cristo por causa das suas visões aos 4 anos de idade.

A fé inspira a arte

A fé e as visões de Akiane que a conduzem à arte, conforme destaca a senhora Forelli Kamarik, mãe de Akiane:

“Ela levanta-se às 5 horas da madrugada para orar e depois pintar. Suas inspirações vêm das visões, sonhos, observando as pessoas, natureza e principalmente de Deus”.

Diálogo com Deus

Akiane descreve suas experiências.

“Todas as manhãs e todas as noites, converso com Deus. É como se fosse uma voz na minha mente conversando comigo.”

Arte
Algumas das suas pinturas:

Anjo

Esperança
Príncipe da Paz
Memórias

Desejo:

Akiane possui um grande desejo: “Que todos amem a Deus e uns aos outros.”.


"Minha força é meu silêncio".










Artigos relacionados com o assunto:
Akrit Jaswal, um ser iluminado
Boriska Borelli - Criança Índigo
Fonte no site oficial em inglês.

22 de mai de 2009

Com Festa na Alma


Abra as janelas da alma e espie as belezas da vida;
que se desdobram além das suas agonias,
tudo colorido e felicitando.

Aspire esse ar puro do dia nascente e
debruce-se sobre o peitoril da janela
do otimismo ante a paisagem ridente,
esquecendo por momentos as rotineiras preocupações.

Empolgar-se-á com a mensagem do dia,
abençoando a vida e compondo sinfonias divinas em toda parte.

Há poesias no por do sol, esperando os seus olhos;
cascatas de luz em poeira de ouro fino carregado
pelos favônios perfumados compondo espetáculo de cor;
melodias espalhadas nos braços da árvore vibrando,

Vibrando no ar...

Tudo é beleza na Criação.

Considere com felicidade esses dons
sem preço que vestem a terra e,
renovando, você retornará ao ninho doméstico
de coração cantando festivas melodias de paz
sob o aplauso de uma consciência de júbilo;
descobrindo porque Jesus diante de tantas coisas da vida,
na terra, referia-se ao Reino de Deus
sinfonia sublime emboscado dentre de nós, e
que poderíamos delatar por toda parte com festa na alma.

Divaldo Franco, ditado pelo espírito de Amélia Rodrigues.
Do livro “Crestomatia da Imortalidade”.

Imagem: http://www.dreamstime.com/free

20 de mai de 2009

Desapego...


O convite desta semana é para que reflitamos sobre o desapego. Como é difícil encarar o novo, o desconhecido. Mudar é sempre doloroso, deixar antigos padrões, que já não nos servem mais, torna-se quase uma tortura para muitos de nós. Ficamos prisioneiros de relações que não nos acrescentam mais nada, casamentos sem amor, nos acomodamos em empregos que não nos oferecem oportunidade de crescimento, que não nos realizam. Acumulamos tantos objetos sem valor para nossas vidas, mas que podem fazer a diferença para alguém, mas egoisticamente não doamos. Tornamo-nos “almas presas” das nossas próprias armadilhas, do apego a algo que na verdade não nos pertence.

Aprofundando-nos um pouco mais nessa questão, citamos Kau Mascarenhas, no seu livro Mudando para Melhor, que nos chama à reflexão sobre o desapego dos dois lados da vida: o dos que ficam, em relação aos que estão desencarnando ou já desencarnaram, e dos que partiram em relação aos familiares que ficam nesta dimensão. Quando as pessoas não têm abnegação desse mundo efêmero, envolvem-se em "energias de retenção”, dificultando o desligamento da terra e da caminhada para o mundo espiritual.

O autor ainda continua, alertando-nos que, quanto mais resistirmos em aceitar o convite da Vida para o novo caminho, mais penoso é o processo de adaptação. Quanto mais rápido nos entregarmos às mudanças, menos sofrimentos teremos. E essa postura deve ser adotada em todas as oportunidades do “novo” em nossas vidas, mesmo que, ilusoriamente, sejam boas ou não.

Um texto simples, que Mascarenhas usa para ilustrar essa questão, porém muito sábio, e nos convida a deixarmos a vida fluir, cumprindo o seu curso natural:

O Recado da Paineira

“Vejo minhas sementes voadoras seguirem adiante, ao sabor do vento. Com pequenos flocos de neve, elas seguem pela floresta e espalham quem sou.

A princípio pensava que elas eram minhas, somente minhas, e cada vez que se destacavam dos meus ramos eu sofria.

Por que deveriam se afastar de mim? Por que precisariam ir embora se são, para mim, tão caras? Por que deveria deixar que se fossem, uma vez que nunca mais retornariam?

O mais curioso é que eu sempre sofria, e nada mudava. Atendendo ao convite da natureza, elas sempre se soltavam dos meus galhos e iam embora quando era chegado o momento.

Nada mudava, inclusive minha dor.
Hoje sei que faz parte de uma sabedoria maior, minhas sementes voadoras seguirem seu caminho.

Já não sofro mais e me despeço com felicidade. Deixo que sigam, completando o ciclo da vida.

Elas levam beleza a toda parte. Elas cumprem seu destino.
E me levam consigo para onde quer que possam ir.”

Reflitamos... e Beijos na Alma,
Simone Anjos

Texto “O Recado da Paineira” extraído do livro: Mudando para Melhor – Programação Neurolinguística e Espiritualidade- de Kau Mascarenhas. Para conhecer o trabalho de Kau Mascarenhas visite o site: www.kau.pro.br
Imagem: www.google.com

13 de mai de 2009

Liberdade

Liberdade vai além de uma lei,
Liberdade é um sentimento de espírito... que ultrapassa o direito de ir e vir.

Ser livre implica em escolhas, no livre arbítrio.
Escolha de não julgar, tampouco uma raça subjugar outra.

Liberdade é não viver com medo...
É ser livre da violência, da fome, da dor, do trabalho escravo, da miséria...

Ser libertos das mais diversas formas de despotismo:
Do preconceito, das imposições religiosas, do fanatismo, das superstições arraigadas de geração em geração.

Ser alforriados dos opressores políticos que existem em qualquer parte do planeta.

Liberdade é dizer NÃO para os ditadores de todos os tempos. Eles estão indo, um - a- um...

Ser livre é abraçar o irmão, sem nos preocuparmos com etnias.
Sem nos importarmos com a cor da pele. Que venham todos para o abraço: amarelos, brancos, negros, índios, pardos... Todos nós fazemos parte de uma única raça: a Humana.

Alvedrio não é apenas para o cidadão de um determinado país ou hemisfério; ser livre é um direito de todos os cidadãos do mundo.

Mesmo que rompamos a barreira do tempo e espaço e nos conectemos com “Criaturas Estelares”, ainda assim, não poderíamos ser subjugados porque somos “Seres Universais”.

Cantemos, hoje e sempre, a liberdade do ser, da alma...

Utopia? Talvez, mas não queremos, não podemos deixar o sonho morrer, jamais!

Liberdade! Liberdade! Abre as assas sobre nós...

Sem esquecer, porém, da advertência de Tobias Barreto de que: “A liberdade é como o vinho simbólico do Sangue Redentor, que, embora sacro-santo, não deixa de poder embriagar”...

Beijos na Alma,

Simone Anjos

Imagem:http://images.google.com.br

12 de mai de 2009

Música para espíritos livres


I Can See Clearly Now, Jimmy Cliff.
Com a tradução para acompanhar o vídeo.


Dedico essa música para todas as pessoas de espírito livre, leve e solto...Lembrem-se que, o sol nasce para todos e devemos sempre buscar a realização dos nossos sonhos.

Eu Posso Ver Claramente Agora

Eu posso ver claramente agora, a chuva se foi,
Eu posso ver todos os obstáculos no meu caminho,
As nuvens pretas que me deixavam cego já foram,
Será um brilhante, um brilhante dia de sol,
Será um brilhante, um brilhante dia de sol,

Oh sim, eu posso ver agora que a dor se foi,
Todos os sentimentos ruim desapareceram,
Aqui está o arco-íris, que tanto rezei,
Será um brilhante, um brilhante dia de sol,

Olhe ao redor, não há nada além do céu azul,
Olhe bem à frente, não há nada além do céu azul,

Eu posso ver claramente agora, a chuva se foi,
Posso ver todos os obstáculos no meu caminho
Aqui está o arco-íris, que tanto rezei
Vai ser um brilhante, um brilhante dia de sol
Vai ser um brilhante, um brilhante dia de sol
Verdadeiro...brilhante, brilhante dia de sol
Sim, ei, vai ser um brilhante, um brilhante dia de sol.

Vídeo: Youtube


Leia os artigos relacionados com o tema:
A influência da música

Divano

8 de mai de 2009

Toque materno...


Pequeno Andrew,

Sei que a sua mamãe foi morar com Deus, e como disse você na época, com a inocência dos seus cinco aninhos, mas no alto da sabedoria de sua alma: “Mamãe virou uma estrelinha e mora no céu com Deus”.

Sim! Sua mamãe passou por uma metamorfose, transformou-se em uma bela estrela e habita planos superiores; mas de vez em quando, ela faz uma surpresa para você e vem lhe visitar, igual aquela noite, lembra-se?

Quando ela apareceu no seu sonho e disse: “Obedeça a vovó”. Que rapazinho inteligente você é! Compreendeu, prontamente, o ensinamento da mamãe...

Então, linda criança, e aquela brisa suave que lhe pareceu um beijo? Lembra-se? Foi a mamãe que transformou-se no vento e lhe faz um carinho...

Sem falar no cheiro de rosas que você sentiu e lembrou-se da fragrância do perfume da sua mamãe... Ah, pequeno! Ela veio perfumar o seu dia, a sua vida...

E quando a noite chega, com seu coração apertado, na dor da saudade, você diz: “Tia, quando eu vou dormir saem água dos meus olhos”, creia meu menino, ela está também ali, unida ao seu coraçãozinho sedento de afeto... Daí você adormece suavemente, embalado em seus braços amorosos.

Meu pequeno, um dia você vai crescer, não irá esquecer a sua mamãe; porém, compreenderá que o Amor de Mãe é Eterno...

Beijos na Alma,

Simone Anjos

Mãe...


Uma mãe é capaz de dar tudo sem receber nada. De amar com todo o seu coração sem esperar nada em troca. De investir tudo em um projeto sem medir a rentabilidade que lhe trará de volta. Uma mãe segue tendo confiança em seus filhos quando os outros já a perderam.

MÃE:
M: pela maternidade, o presente de qualquer mulher e a salvação de qualquer filho.
A: Pelo amor maternal. Insuperável.
E: Porque é especial. Por seu amor, por sua entrega e pela forma com que se dedica a manter unida toda a família.

FELIZ DIA DAS MÃES!


Obs: Recebi o texto, desconheço o autor.

Imagem:http://www.dreamstime.com/free

5 de mai de 2009

Apenas sinta a minha presença...


Quando o sol brilhar,
admire-o!
Vais até a janela e saúda o dia.

Olhes no horizonte anil,
procure-me, com certeza, estarei lá...

E quando a tarde chegar,
ouvirás o canto dos aves,
escutas com atenção,
entre os pios dos pássaros
e o zumbido das abelhas,
lá no fundo, ouvirás a minha voz.

Quando a noite cair
e a brisa cálida e suave
bater no seu rosto,
sentirás saudades,
sou eu acariciando a tua face...

Não chores!
Ergas os olhos para o céu estrelado
e verás o meu sorriso...

Simone Anjos
Imagem:http://www.dreamstime.com/tulip-imagefree5536058


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anjos do Toque

Toques Iluminados e Amigos