19 de abr de 2010

De um jeito só seu...

Há um jeito só seu de semear o bem.

Se tem sabedoria para falar, fale! Há pessoas precisando de quem lhes rasgue novos horizontes.

Se tem o dom de ouvir, ouça! Há pessoas precisando falar para reorganizar os pensamentos e sentimentos.

Se tem o dom de enxergar os talentos alheios, enalteça-os! Há pessoas que desabrocham por conta de alguém que lhes reconheça um dom.

Se tem o discernimento o bastante para fazer uma observação construtiva, faça-a! Há pessoas persistindo no mesmo erro, por falta de alguém que as alerte com carinho e firmeza.

Se você não tem vocação para engajar-se em movimentos filantrópicos de grande alcance, tenha em mente que o maior bem a ser semeado começa dentro do lar.

Oferte a sua canção, a sua poesia, a sua hospitalidade, aquele prato que ninguém sabe fazer igual.

Oferte a sua diplomacia, a sua liderança ou a sua capacidade de atuar em segundo plano para o bem comum.

Oferte o seu talento para contar piadas e fazer rir.

A sua ternura natural no trato com crianças, idosos ou animais.

A sua capacidade de manter o sangue frio nas horas de crise, quando todos em sua volta desabam.

A sua paciência de permanecer num hospital ao lado de um enfermo terminal, ou de varar a noite num velório, naquela hora crítica em que todos vão embora.

Há um jeito que é só seu e todo seu, mesmo que seja ofertar uma flor sem ser dia de nada.

Mesmo que seja uma prece sincera feita no silêncio do seu quarto.(...)

Na contabilidade Divina, pouco importa se o seu jeito de semear o bem vai alcançar uma criatura ou milhões de criaturas.

Você está fazendo a sua parte, de um jeito que é só seu. É isto o que realmente importa!

(Fátima Irene)

O importante, na verdade, é ofertarmos aquilo que temos de melhor dentro de nós, e esse algo melhor chama-se AMOR.
Beijos na alma,
Simone Anjos
PS:Recebi esse texto sem a autoria, mas descobri que é da lavra de Fátima Irene, uma poetisa que eu admiro muito.
Imagem: Google

12 de abr de 2010

(...) alimentar ressentimentos, censurar-se, culpar-se com relação ao passado e olhar o futuro com medo são os padrões de pensamento que mais prejudicam. Eles mantêm a doença e o mal-estar dentro do corpo, podendo até mesmo destruí-lo.

O medo é capaz de contribuir para a calvície, para as úlceras, para os problemas do intestino e até para os pés doloridos, entre outras coisas. Se você vive se censurando, pode ficar com tendência à artrite. O ressentimento arraigado corrói o corpo e transforma-se na doença que chamamos câncer.

A culpa sempre procura um castigo e cria a dor.
Sentimos medo porque não confiamos que o processo da vida existe para nos servir. Você sabe que a coisa mais preciosa que temos na nossa vida é a respiração. Se o ar não entrasse mais em seus pulmões na próxima inspiração, você sobreviveria apenas durante três minutos. No entanto, você tem tanta certeza de que sua próxima respiração vai acontecer, que nem pensa nisso enquanto expira.

Se o poder que nos criou nos deu a capacidade de respirar que durará até o fim de nossa vida, por que não acreditar que o resto também nos será dado? Da próxima vez que sentir medo, pense na abundância do ar diga: Confio que o processo da vida cuidará de mim.

A dor crônica provêm de uma culpa implacável, muitas vezes tão encoberta, que não tomamos consciência de sua existência. Para que a dor seja eliminada é preciso dissolver essa culpa. A culpa é uma emoção totalmente inútil. Ela não ajuda ninguém a se sentir melhor nem muda a situação. Liberte-se dessa prisão.

A raiva combinada com a culpa contribui, muitas vezes, para acidentes. Nós sentimos a necessidade de sermos castigados e criamos situações de risco para que isso aconteça. (...)

(...) o passado é passado acabou. Não podemos mudá-lo agora. Mas podemos mudar nossa atitude e nossos pensamentos com relação a ele. É uma enorme perda de tempo ficarmos nos castigando no presente porque alguém nos machucou há tantos anos. Não vale a pena.(...)

(...) É fundamental nos libertarmos de idéias e crenças tolas, antiquadas ou negativas que não fazem nada para nos sustentar, para nos acolher.
O que achamos de nós mesmos, da vida e de Deus precisa nos fazer crescer e não nos anular.

Não importa qual seja a nossa doença. Se escolhermos acreditar que somos vítimas indefesas e que tudo está perdido, o universo nos apoiará nessa crença e estaremos derrotados.

(...) Quando realmente nos amamos, quando nos aceitamos e nos aprovamos exatamente como somos, tudo na vida flui.

É como se pequenos milagres acontecessem por todas as partes. Nossa saúde melhora. Atraímos mais dinheiro. Temos relacionamentos melhores. Começamos a nos expressar de maneira criativa e satisfatória.

(...) Assim, vamos nos libertar da raiva e todas as coisas negativas que acreditamos a nosso próprio respeito e a respeito da vida e começar o processo de aceitação e aprovação de quem e do que somos, aqui e agora. Valorizando cada pequeno avanço, sendo tolerantes com qualquer recuo, recomeçando com confiança. Sabendo que o processo é difícil, porque temos de lutar contra estruturas muito solidificadas, mas que vale a pena e traz muita paz e felicidade.

Louise L. Hay – Texto do Livro “Meditações para a Saúde do Corpo e da Mente”.

Imagem:Assustada cara por Frits Ahlefeldt

1 de abr de 2010

Páscoa: Tempo de Ressuscitar o Amor

Chegou a Páscoa, momento em que devemos fazer uma viagem ao nosso interior, recolher-nos ao silêncio das nossas almas.

Tempo de analisarmos o que fizemos de certo ou errado, refletirmos sobre o que aprendemos com os nossos erros, aprimorar aquilo o que fizemos de bom para nós mesmos e, principalmente, para o nosso semelhante.

Para mim a Páscoa tem um grande significado: é tempo de perdão. Perdoar a nós mesmos que muitas vezes carregarmos culpas que não nos levam a nada, pois não podemos mudar o passado. Devemos deixar morrer tudo de negativo que trouxemos até aqui, e ressuscitar o que existe de mais belo dentro de nós. Todos nós temos algo maravilhoso dentro do nosso Ser, pois essa Luz que, às vezes, encontra-se apagadinha em nosso interior, só precisa ser liberada, ela faz parte da essência primordial do Ser.

A Páscoa nos convida a olharmos para o irmão como igual, perdoando aqueles que nos magoaram; sendo solidários com os menos afortunados, nos chama à responsabilidade para o futuro das nossas crianças, ao nosso dever como cidadãos do mundo sobre a existência futura do nosso planeta.
Páscoa é tempo de relembrar a aliança de Deus com os homens, quando ELE deu o seu Filho Unigênito para nos salvar; Ele fez isso como voto de confiança na humanidade, isso significa que ELE ainda acredita em nós. Agora é a nossa vez de ressuscitarmos em nossas vidas o AMOR. Esse sublime sentimento que o Criador tem por todos nós, e por AMOR, o seu Filho, o Cristo morreu e ressuscitou para a Eterna Aliança de perpetuação da humanidade e salvação do nosso espírito imortal.

Que o AMOR do CRISTO ressuscite em nossos corações nesta Páscoa e floresça em nossas vidas por toda a existência.

Feliz Páscoa!

Beijos na alma,

Simone Anjos

Imagem: Free2use.it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anjos do Toque

Toques Iluminados e Amigos