15 de jan de 2017

Motivo de Toda Alegria

No mundo onde vivemos, cheios de dor, miséria e atribulações, falsas alegrias, vazio existencial e muitas pessoas sem propósito na vida, pessoas buscando uma variedade de meios e ocupações para encontrar a felicidade, mas parece que são poucos que podem afirmar tê-la encontrado de verdade.
No livro Posso ter alegria em MINHA VIDA? O Dr. R. C Sproul indica que o caminho para a verdadeira felicidade é um estreito relacionamento com Deus, através de Jesus Cristo. Um verdadeiro presente nesse início de ano e para reflexão no nosso cotidiano. 


"Uma das lições mais difíceis que temos de aprender como cristãos é como sermos alegres, em meio à tristeza a ao sofrimento. Entretanto, nestas circunstâncias, alegria não é opcional. Tiago nos diz: "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações" (1.2). O que Tiago pretende dizer com estas palavras? E como podemos fazer o que ele nos ordena neste versículo?

Uma coisa é permanecermos num estado de alegria; outra coisa é considerarmos as nossas circunstâncias como motivo de alegria. Quando Tiago nos diz: "Tende por motivo de toda alegria", ele usa uma palavra que contém a ideia de reconhecer, considerar ou julgar. Ele está dizendo que, mesmo quando não sentimos alegres, no que diz respeito a uma tribulação pela qual estamos passando, temos de julgá-la - ou seja, considerá-la - um assunto de alegria. Temos de fazer isso não porque aquilo que estamos vivenciando seja prazeroso, e sim porque, como Tiago diz, sabemos que "a provação da ... fé, uma vez confirmada, produz perseverança" (v.3). Em outras palavras, tribulação, aflição e sofrimento produzem paciência dentro de nós. Portanto, algo bom nos acontece, mesmo em meio às provações. Por lembrarmos essa verdade, quando passarmos por tribulações, por mais insuportáveis que sejam, entenderemos que não são um exercício e que Deus tem propósitos nelas; e seus propósitos são sempre bons.

(...) Portanto, Tiago está nos exortando a considerar a provação como um motivo de alegria, embora não haja nenhuma alegria, não porque estar envolvido em sofrimento e aflição nos traga regojizo, e sim porque Deus pode produzir o bem por meio dessa aflição e sofrimento. Ele age até nas situações difíceis, para a nossa santificação."

Sei queridos leitores que é difícil de entender, muito menos aceitar o sofrimento em nossas vidas, mas acompanhando o pensamento do autor, "para sermos capazes de considerar as tristezas e as aflições terrenas como motivo de alegria, temos que cultivar a habilidade de pensar em relação ao futuro, ou seja temos que ter esperança no céu, não importa quanto as pessoas a ridicularize como "ilusão do céu, essa esperança é sua, é a realidade que nos dá consolo real". 

As músicas cantadas pelos escravos americanos do gênero "Black Soul" daquele tempo estão cheias de alegrias e esperança, pois eles sentiam o sofrimento na pele, mas a suas almas eram livres e cheias de esperanças e certeza do "céu" como lar. Temos como exemplo a canção intitulada: "Swing Low, Sweet Chariot" (Balance devagar, Doce Carruagem", uma das estrofes diz assim: "Olhei para o Jordão, e o que vinha ao meu encontro, para levar-me ao lar? Um grupo de anjos a procurar-me, para levar-me ao lar. O poderoso testemunho de muitas destas canções é de uma alegria baseada em olhar para Deus e para a bem-aventurança futura.

Paulo reconheceu a realidade e a intensidade do sofrimento que somos chamados a suportar neste mundo. Ele disse: O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo; e se com ele sofremos, também som ele seremos glorificados (Rm 8.16-17, ênfase acrescentada pelo autor). 

(...) É difícil sentir alegria quando há doença e sofrimento em nossa vida. Quando passamos por estes períodos, o conselho de Paulo é lembrarmos que Deus fixou um limite de tempo ao nosso sofrimento e que, depois desse tempo, entraremos numa condição em que não haverá mais sofrimento. Não haverá mais lágrimas, nem dores, nem ansiedade, nem tristeza, nem adversidade. Isso parece uma ilusão, mas não podemos nos esquivar do fato de que o âmago da fé cristã é a verdade de que este mundo não é nosso lar. Nosso destino final ainda está a frente. 

Portanto, o céu é a grande esperança do cristão, e o Novo Testamento diz que a esperança é a âncora da alma. (Hb 6.19)"

Então caros amigos, quando temos Cristo em nossas vidas e em nossos corações, temos fé e esperança que todo sofrimento passará e com Ele em nossas vidas teremos força para enfrentar e superar qualquer obstáculo.

Vale a pena, independente da sua religião ler esse livro, é de fácil e agradável leitura que nos faz refletir sobre o que realmente nos traz alegria e como manter a fé nos momentos difíceis.

Beijo na alma,

Extraído do livro: Posso ter alegria em MINHA VIDA? de R.C Sproul, páginas 23-29. Fiel Editora.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim. Obrigada!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anjos do Toque

Toques Iluminados e Amigos