30 de dez de 2010

BÊNÇÃO CELTA

Duendes

No dia que o peso apoderar-se dos teus ombros, e tropeçares, que a argila dance, para equilibrar-te!

E, quando teus olhos congelarem, por trás da janela cinzenta,
E o fantasma da perda chegar a ti...
Que um bando de cores, índigo, vermelho, verde
E azul celeste, venha despertar em ti,
Uma brisa de alegria.

Quando a vela se apagar no barquinho do pensamento,
e uma sensação de escuro estiver sobre ti,
que surja para ti, uma trilha de luar amarelo,
para levar-te a salvo pra casa.

Que o alimento da terra seja teu!
Que a claridade da luz te ilumine!
Que a fluidez do oceano te inunde!
Que a proteção dos antepassados,
esteja com você!

E assim...
que um vento teça essas palavras de amor à tua volta,
num invisível manto, para zelar por tua vida, onde estiveres.

Que assim seja!!
E assim se faça


Fonte: Lendas Celtas
Imagem: by www.glimboo.com

Leia também: Benção Holística e Hino Celta, ao Amor, à Amizade

FELIZ ANO NOVO!

Dentro de um dia, um Ano Novo vai chegar a esta estação.
Se não puder ser o maquinista, seja o seu mais divertido passageiro.

Procure um lugar próximo à janela, desfrute cada uma das paisagens que o tempo lhe oferecer, com o prazer de quem realiza a primeira viagem.

Não se assuste com os abismos, nem com as curvas que não lhe deixam ver os caminhos que estão por vir.

Procure curtir a viagem da vida, observando cada arbusto, cada riacho, beirais de estrada e tons mutantes de paisagem.

Desdobre o mapa e planeje roteiros.

Preste atenção em cada ponto de parada, e fique atento ao apito da partida.

E quando decidir descer na estação onde a esperança lhe acenou não hesite.

Desembarque nela os seus sonhos...

Desejo que a sua viagem pelos dias do próximo ano seja de  PRIMEIRA CLASSE.

(Autor desconhecido)

Desejo um ano de paz e amor para você amigo leitor e para toda a Humanidade.

Feliz Ano Novo!

Beijos na alma,

Simone Anjos

Nota: Quem souber a autoria dessa mensagem, favor nos avisar para darmos o devido crédito.

Imagem: Free2use.it



24 de dez de 2010

Bênção Holística

Que a Divina Mãe te abençoe e te proteja.
Encha os teus pés de dança e teus braços de força.
Cumule o teu coração de ternura e teus olhos de alegria.
Povoe teus ouvidos de música e teu nariz de perfume.

Que a Divina Sabedoria inunde tua boca de júbilo e tua alma de felicidade.
Conceda-te sempre os dons do deserto: silêncio, confiança e água pura.
Infunda em ti novas energias para dar um rosto à esperança.

Que a Divina Ruah te conceda a serenidade das montanhas, o frescor das águas, a leveza da brisa, a luminosidade do sol, o brilho da lua e a paz do infinito.

Que a Divina Luz esteja atrás de ti para te proteger.
Ao teu lado para te acompanhar.
Dentro de ti para te consolar, a tua frente para te guiar.
E acima de ti para te abençoar.

Amém, Axé, Aleluia.

21 de dez de 2010

O Amor e o Natal, um bom começo.

Onde está Jesus no Natal dos dias atuais?
A proposta de se dividir a ceia de Natal com os necessitados, amar e
praticar o bem, é muito boa. Porém ainda não se consegue convidar
para a mesa os “pobres e os estropiados”. Assim sendo, pode-se fazer
pequenas ações para transformar o Natal em um momento de amor, e não
apenas, estimulado pelo Papai Noel, se distribuir presentes com os
amigos e parentes. Por outro lado, o melhor presente que se pode dar
para Jesus, não se compra com dinheiro, mas apenas com uma "moeda"
belíssima chamada virtude.


O Aniversariante do mês diz: "perdoai os vossos inimigos, orai por
aquele que vos persegue, pagai o mal com o bem". Se ainda não consegue
perdoar os inimigos! Pode-se começar perdoando os amigos, já é um bom
começo. Se ainda não se consegue orar pelo perseguidor! Pode-se orar
pelo bem geral da humanidade, e aos poucos se aproximar do anjo
guardião que ajudará a aprender a orar pelos inimigos, que já é um bom
começo. Se ainda não se consegue pagar o mal com o bem! Pode-se, pelo
menos, não desejar mal ao outro, já é um bom começo.
Concluindo, o ideal é que se pratique as virtudes ensinadas por
Jesus, não só no período de NATAL, mas muito mais  nos outros dias do ano.  
Porém, se ainda não conseguimos praticá-las, de forma natural,
conforme nos orienta o evangelho do Mestre, vamos começar a treinar
aos poucos, uma pequena ação virtuosa, já é um bom começo.

FELIZ NATAL... tenha um bom começo, e tenha um ano novo triplamente feliz.

(Autor Luis Silva)


Desejo um Feliz Natal e um Ano novo de realizações, amor, sáude e sucesso para TODOS nós com Jesus presente em nossas vidas e corações.

Beijos na alma,
Simone Anjos


Nota: Recebi a imagem por e-mail sem a fonte.

13 de dez de 2010

É Proibido

É Proibido
(Pablo Neruda)

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos


Não tentar compreender os que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não lhe importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida lhe dá, também lhe tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Imagem: by imagechef.com

12 de dez de 2010

Cuidemos do nosso pensar

Tenha cuidado com teus pensamentos; podem se tornar palavras.

O começo é a metade de toda ação.

Cuidado com tuas palavras; podem se tornar atos.

Cuidado com teus atos; podem se tornar hábitos.
Cuidado com seus hábitos; eles formarão o seu caráter. Cuida do teu caráter, dele depende o teu destino, tua vida.

A vida é um jardim.

Na vida, tudo o que semeares, irás colher. Assim escolha boas sementes e lembre de regá-las, e com certeza terás flores mais belas.

Cada ato, palavra, sorriso ou olhar, é uma semente.

Faça com que tuas sementes caiam em covas abertas nos corações dos homens e cuide para que germinem.

Cuide para que seja como o trigo; que alimente as pessoas, e não produza espinhos e erva daninhas que tornam as almas estéreis.

Muitas vezes semearás na dor, mas esta semeadora trará frutos de alegria.

Algumas vezes semearás chorando, mas, quem sabe se tua semente não necessita ser regada por tuas lágrimas para que germinem?

Não tome as tormentas como castigos.

Pense que os ventos fortes fazem com que as raízes se tornem mais profundas, para que a roseira suporte melhor ao que virá.

E, quando tuas folhas caírem, não te lamentes; serão teu próprio adubo, para que vicejas e tenhas flores novas.

Cada ato, cada palavra, cada sorriso, cada olhar é uma semente. Procure sempre: “uma semente de amor”.

Somos frutos do que pensamos e sentimos.

Assim, muito do que nos ocorre em nossa vida cotidiana, tem influência direta de nossa própria força interior.

O antídoto contra a má sorte, está em cada pessoa, em sua forma de ser e de viver, na maneira como canaliza as energias que estão dentro de si mesmo, e sobretudo, na forma como transmite essas energias para as pessoas que estão à sua volta.

Se afirmarmos permanentemente e com absoluta fé, coisas positivas, isto será o que teremos para nossa saúde, trabalho, família, amigos, e tudo quanto bons propósitos queiramos que Deus nos conceda.

O poder da fé que depositamos em tudo quanto pedimos será determinante na hora de receber suas graças e bênçãos.

(Autor desconhecido)

Nota: Quem souber de quem é autoria do texto, favor informar para darmos os devidos créditos.

Imagem: by Tomo Yun

8 de dez de 2010

Sua decisão

Não perca a calma, não desespere a alma.
Viver não é difícil, mas é uma arte, na qual você é o próprio artista.
Pode ilustrar belos quadros, eternizar os momentos,
ou pode desenhar a face da loucura e vegetar nas sombria solidão.

A escolha é sua, sempre sua.
Os caminhos por Ele são apontados e somente por você trilhados.
Pode sorrir, pode chorar, a decisão quanto as cores da aquarela só você pode apontar:

Azul,
Verde,
Rosa,
Marrom
ou
Preta.

Quem sabe todas as matizes do arco-íris, que belo arrebol você pode criar ou quão tenebrosa tela imaginar.

Luz, sombra ou escuridão, só se revela para quem lhe dá força. O vencedor? Quem sabe é você irmão, qual lobo alimentar. Só você decide, pois é o deus do seu próprio universo.

Beijos na alma,

Simone Anjos

Imagem:by Tomo Yun

7 de dez de 2010

Direção do Sol

Tome a tua vida em tuas mãos, e não entregue a direção dela a ninguém.

Por mais que te amem, por mais que desejem o teu bem, só você é capaz de sentir o que realmente sente, e aquilo que você passa de impressão para os outros, nem sempre corresponde ao que vai na sua alma.

Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa?

Quantas vezes você quis gritar e sufocou o pranto?

Quantas vezes você quis sair correndo de algum lugar e ficou por educação, respeito ou medo?

Quantas vezes desejou apenas um beijo, e ficou com a boca seca esperando o que não veio?

Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço, um consolo, uma palavra amiga e só recebeu ingratidão?

Quantos passos foram necessários para chegar até onde você chegou?

Quantos sabem dar o valor que você realmente merece?

Criticar é fácil, mas usar os seus sapatos ninguém quer, vestir as suas dores ninguém quer, saber dos seus problemas, só se for por curiosidade, por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém, nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa você não vai viver...

Vai viver sim, o mundo continua girando, e se você deixar, pode te trazer algo muito melhor.

Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao sul, lá onde a placa diz “caminho do sol”, bem na curva da felicidade, que te espera sem pressa, para viver com amor e intensidade, a paz, a harmonia e a felicidade...

Autoria: Paulo Roberto Galfke

Imagem: Free2use.it

Leis da Espiritualidade na Índia

Na Índia se ensina as quatro Leis da Espiritualidade.

A primeira lei diz:

“A pessoa que chega é a pessoa certa”.

Significa que nada ocorre em nossas vidas por casualidade. Todas as pessoas que nos rodeiam, que interagem conosco, estão ali por uma razão, para que possamos aprender e evoluir em cada situação.

A segunda lei diz:

“O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido”.

Nada, absolutamente nada que ocorre em nossas vidas poderia ter sido de outra maneira. Nem mesmo, o detalhe mais insignificante!

Não existe: “se acontecesse tal coisa, talvez pudesse ter sido diferente...” Não! O que ocorreu foi a única coisa que poderia ter ocorrido e teve que ser assim para que pudéssemos aprender essa lição e então seguir adiante.

Todas e cada uma das situações que ocorrem em nossas vidas são perfeitas, mesmo que nossa mente e nosso ego resistam em aceitá-las.

A terceira lei diz:

“Qualquer momento que algo se inicia é o momento certo.”

Tudo começa num momento determinado. Nem antes, nem depois! Quando estamos preparados para que algo novo aconteça em nossas vidas, então será aí que terá início.

A quarta e última lei diz:

“Quando algo termina, termina!”

Simplesmente assim! Se algo terminou em nossas vidas, é para nossa evolução. Portanto, é melhor desapegar, erguer a cabeça e seguir adiante, enriquecidos com mais essa experiência.

Creio que não é por acaso que você está lendo essa mensagem. Se esse texto chega até nós hoje é porque estamos preparados para entender que nenhum grão de areia, em momento algum cai no lugar errado.

Viva bem! Ame com todo o seu Ser! E permita-se ser imensamente FELIZ!


Nota: Recebi essa mensagem por e-mail, sem informar quem a organizou/ traduziu para a língua portuguesa.


Imagem: As Novidades

30 de nov de 2010

Contentamento

“O contentamento transforma pobres em ricos; o descontentamento transforma ricos em pobres”.
- Benjamin Franklin

Cinco segredos para ter contentamento:

1. Ame as pessoas, não o dinheiro e os bens

O amor ao dinheiro é a raiz de toda sorte de coisas prejudiciais” – Timóteo 6:10.
Por outro lado, o verdadeiro contentamento vem de amar e ser amado.

2. Resista à tendência de se comparar com os outros

“Cada um examine os próprios atos, e então poderá orgulhar-se de si mesmo, sem se comparar com ninguém” _ Gálatas 6:4, Nova versão Internacional.

Se você medir o seu valor por se comparar com outros, acabará ficando orgulhoso ou sempre descontente. Portanto, aceite modestamente o fato de que você nem sempre será o melhor em tudo o que fizer. _ Provérbios 11:12.

3. Mostre Gratidão

“Daí graças em conexão com tudo.”_ 1 Tessalonicenses 5:18.

Algumas pessoas só reconhecem o valor da família, dos amigos ou de outras bênçãos depois que os perdem. Você pode evitar essa triste conseqüência por refletir nas boas coisas que você já tem. O que acha de fazer uma lista mental ou escrita das coisas pelas quais se sente grato?

Visto que no fim das contas “toda boa dádiva” vem de Deus, é apropriado expressar nossa gratidão a Ele em oração. (Tiago 1:17). Fazer isso regularmente pode nos ajudar a sempre mostrar gratidão e a cultivar contentamento. _ Filipenses 4:6, 7.

4. Escolha bem seus amigos

“Quem anda com pessoas sábias tornar-se-á sábio.”_ Provérbios 13:20.

Nossos amigos podem tanto aumentar como diminuir nosso contentamento. Suas atitudes e conversas com certeza afetam nosso modo de encarar a vida. _ 1 Coríntios 15:33.

Hoje também, muitas pessoas ‘são resmungadoras, queixosas de sua sorte na vida’. (Judas 16). Não é fácil manter contentamento na companhia de amigos que nunca estão satisfeitos com nada.

5. Satisfaça a sua necessidade espiritual

“Felizes os cônscios de sua necessidade espiritual.” _ Mateus 5:3.

Analise as evidências de que Deus existe. (Romanos 1:20; Hebreus 3:4).
Não permita que ninguém o desanime de procurar respostas a perguntas importantes como: Por que estamos aqui? Existe vida após a morte? Por que há tanto sofrimento? O que Deus requer de nós? Encontrar respostas satisfatórias a essas perguntas é essencial para você ter verdadeiro contentamento.

Ao perceber que os conselhos sábios da Bíblia estão lhe beneficiando, sua devoção a Deus aumentará.

Trechos extraídos do artigo “É possível ter contentamento?” da Revista A Sentinela – Anunciando o Reino de Jeová – Edição de 1º. de novembro de 2010.

Imagem: web by Google.

29 de nov de 2010

Dois Cavalos

O Cavalo Cego:

- “Aprendi que o jeito mais fácil de crescer como pessoa, é me cercar de pessoas melhores que eu.”



Os dois cavalos

Na estrada de minha casa há um pasto. Dois cavalos vivem lá.
De longe, parecem cavalos como os outros cavalos, mas, quando se olha bem, percebe-se que um deles é cego. Contudo, o dono não se desfaz dele e arrumou-lhe um amigo – um cavalo mais jovem. Isso já é de se admirar.

Se você ficar observando, ouvirá um sino. Procurando de onde vem o som, você verá que há um pequeno sino no pescoço do cavalo menor.

Assim, o cavalo cego sabe onde está seu companheiro e vai até ele. Ambos passam os dias comendo e no final do dia o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo. E você percebe que o cavalo com o sino está sempre olhando se o outro o acompanha e, às vezes, pára para que o outro possa alcançá-lo.

E o cavalo cego guia-se pelo som do sino, confiante que o outro o está levando para o caminho certo.

Como o dono desses dois cavalos, Deus não se desfaz de nós só porque não somos perfeitos, ou porque temos problemas ou desafios.

Ele cuida de nós e faz com que outras pessoas venham em nosso auxílio quando precisamos. Algumas vezes somos o cavalo cego guiado pelo som do sino daqueles que Deus coloca em nossas vidas. Outras vezes, somos o cavalo que guia, ajudando outros a encontrar seu caminho.

E assim são os bons amigos. Você não precisa vê-los, mas eles estão lá. Por favor, ouça o meu sino. Eu também ouvirei o seu.

Viva de maneira simples,
Ame generosamente,
Cuide com devoção,
Fale com bondade...

Pense antes de agir para não se arrepender.
E CREIA, deixando o resto para Deus...

(Autor desconhecido)

Obs: Recebemos essa mensagem por e-mail sem o nome do autor, quem souber a autoria, favor avisar para darmos os devidos créditos ao autor.

Imagem: Só Papel de Parede

23 de nov de 2010

Não lembramos de vidas passadas. Por quê?

Se a provação te aflige, Deus te conceda a paz. Se o cansaço te pesa, Deus te sustente em paz. Se te falta a esperança, Deus te acrescente a paz. Se alguém te ofende ou fere, Deus te renove em paz. Sobre as trevas da noite, o céu fulgura em paz. Ama, serve e confia. Deus te mantém em paz
(Emmanoel)

Não lembramos das vidas passadas e nisso está a sabedoria de Deus.

Se lembrássemos do mal que fizemos ou dos sofrimentos que passamos, dos inimigos que nos prejudicaram ou daqueles a quem prejudicamos, não teríamos condições de viver entre eles atualmente.

Pois, muitas vezes, os inimigos do passado hoje são os nossos filhos, nossos irmãos, nossos pais, nossos amigos, que presentemente se encontram junto de nós para reconciliação. Por isso, existe a reencarnação.


Certamente, hoje estamos carregando erros praticados contra alguém, sofrendo as consequências de crimes perpetrados, ou mesmo sendo amparados.

Auxiliados por aqueles que, ao pretérito, nos prejudicaram. Daí a importância da família, onde se costumam reatar os laços cortados em existências anteriores.

A reencarnação, desta forma, é a oportunidade de reparação, como também, oportunidade de devotarmos nossos esforços pelo bem dos outros, apressando nossa evolução espiritual.

Quando reencarnamos, trazemos um “plano de vida”, compromissos assumidos perante a espiritualidade e perante nós mesmos, e que dizem respeito à reparação do mal e à prática de todo o bem possível.

(Autor desconhecido )

Leia também: A Lógica da Reencarnação             
                     ou  Reencarnação

Imagem: By Tomo Yun

21 de nov de 2010

Desencontros

Quantas trilhas andei,
escalei montanhas, caminhos desviei,
a direita, a esquerda, à deriva, à margem do caminho, fiquei.

Onde estava você? Por onde andava que não percorreu o meu caminho?
Nem, ao meu lado, esteve. Noites claras, afora vaguei a sua procura, você, sorrateiramente, de mim se desviava.


Pelo seu sorriso procurei, pelos beijos não dados, suspirei, e você onde estava?
Que não ouvia a minha voz, o seu nome, gritar.
Quantas idas, quantas vindas, tantos desencontros.
Só agora você aparece, no outono, no inverno, nas frias estações.
Na impossibilidade do possível!

Que nos resta? A distância? O sofrimento e a dor? Quão espinhoso é o caminho do amor e seus desencontros.

Simone Anjos

Imagem retirada do Blog Canção Nova

16 de nov de 2010

Mantenha essa corrente

 "Encontrem uma cura antes que cresçam os meus seios."

Uma pequena solidariedade
Tudo o que se pede é mantê-lo circulando


Nem que seja a uma só pessoa ...
Em memória das que morreram de câncer

ou seguem vivendo com ele...
Uma vela não se perde por iluminar outra.
Por favor mantenha a vela acesa!!!


Queridos amigos, participem dessa corrente, levem este post para seus blogs, se não quiserem fazer link para o meu, fiquem a vontade, o importante é manter acesa essa vela da solidariedade.

Beijos na alma,

Nota: Recebi essa mensagem atráves de e-mail enviado por um médico amigo e solidário.

Educação

O amor é a base do ensino.
Professor e aluno, cooperação mútua.
O auto-aprimoramento será sempre espontâneo.
Disciplina excessiva, caminho de violência.

A curiosidade construtiva ajuda o aprendizado.
Indagação ociosa, dúvida enfermiça.
Egoísmo nalma gera temor e insegurança.
Evangelho no coração, coragem na consciência.

Cada criatura é um mundo particular de trabalho e experiência.
Não existe vocação compulsória.
Toda aula deve nascer do sentimento.
Automatismo na instrução, gelo na idéia.
A educação real não recompensa nem castiga.

A lição inicial do instrutor envolve em si mesma a responsabilidade pessoal do aprendiz.
Os desvios da infância e da juventude refletem os desvios da madureza.
Aproveitamento do estudante, eficiência do mestre.
Maternidade e paternidade são magistérios sublimes.

Lar, primeira escola; pais, primeiros professores; primeiro dia de vida, primeira aula do filho.
Pais e educadores! Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas superiores de Vida.

Texto do Livro: O Espírito da Verdade/ André Luiz/ Francisco Cândido Xavier

(Recebi esse texto por e-mail do querido Rey.sempre.amigo)

Imagem retirada do blogOlhó Livro 

15 de nov de 2010

Mês passado participei de um evento sobre as mulheres no mundo contemporâneo .

Era um bate-papo com uma platéia composta de umas 250 mulheres de todas as raças, credos e idades.

E por falar em idade, lá pelas tantas, fui questionada sobre a minha e, como não me envergonho dela, respondi.

Foi um momento inesquecível...

A platéia inteira fez um 'oooohh' de descrédito.

Aí fiquei pensando: "pô", estou neste auditório há quase uma hora exibindo minha inteligência, e a única coisa que provocou uma reação calorosa da mulherada foi o fato de eu não aparentar a idade que tenho? Onde é que nós estamos?'

Onde não sei, mas estamos correndo atrás de algo caquético chamado "juventude eterna". Estão todos em busca da reversão do tempo.

Acho ótimo, porque decrepitude também não é meu sonho de consumo, mas cirurgias estéticas não dão conta desse assunto sozinhas.

Há um outro truque que faz com que continuemos a ser chamadas de senhoritas mesmo em idade avançada.

A fonte da juventude chama-se "mudança".

De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora.

A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas.

Eu pretendo morrer jovem aos 120 anos.

Mudança, o que vem a ser tal coisa?

Minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda para um bem menorzinho.

Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras, que havia guardado e, mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu.

Uma amiga casada há 38 anos cansou das galinhagens do marido e o mandou passear, sem temer ficar sozinha aos 65 anos.

Rejuvenesceu.

Uma outra cansou da pauleira urbana e trocou um baita emprego por um não tão bom, só que em Florianópolis, onde ela vai à praia sempre que tem sol.

Rejuvenesceu.

Toda mudança cobra um alto preço emocional..

Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza.

Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face.

Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna.

Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho.

Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.

Olhe-se no espelho...

Texto de Lya Luft

(Recebi esse texto, por e-mail, indicando a autoria de Lya Luft, não tenho certeza, mas a mensagem é interessante).

Imagem: by Tomo Yun

13 de nov de 2010

Cremação no Espiritismo

Há algum tempo passou no Fantástico um trecho do documentário da BBC sobre biologia humana. Diz lá que quando a pessoa morre, o cérebro demora até 32 horas para “apagar” seus últimos neurônios. Já as células da pele ainda se dividem por 24 horas. Será que é nisso que se baseia o costume espírita de esperar 72 horas antes de cremar o corpo?

Emmanuel, no livro O Consolador, psicografado por Chico Xavier, quando lhe perguntaram se o espírito desencarnado pode sofrer com a cremação dos elementos cadavéricos, a resposta é a seguinte:

“Na cremação, faz-se mister exercer a caridade com os cadáveres, procrastinando por mais horas o ato de destruição das vísceras materiais, pois, de certo modo, existem sempre muitos ecos de sensibilidade entre o espírito desencarnado e o corpo onde se extinguiu o tônus vital, nas primeiras horas seguintes ao desenlace, em vista dos fluídos orgânicos que ainda solicitam a alma para as sensações da existência material”.


Chico Xavier, ao ser indagado no Programa Pinga Fogo quanto à cremação de corpos que seria implantada no Brasil respondeu:

“Já ouvimos Emmanuel a esse respeito, e ele diz que a cremação é legitima para todos aqueles que a desejam, desde que haja um período de, pelo menos, 72 horas de expectação para a ocorrência em qualquer forno crematório, o que poderá se verificar com o depósito de despojos humanos em ambiente frio.”

Richard Simonetti, em seu trabalho “Quem tem medo da morte” (Gráfica S. João, Bauru – SP), registra que “nos fornos crematórios de São Paulo, espera-se o prazo legal de 24 horas, inobstante o regulamento permitir que o cadáver permaneça na câmara frigorífica pelo tempo que a família desejar”, observando que os “espíritas costumam pedir três dias”, mas, "há quem peça sete”.

Diz-se que, com o desencarne, os laços que unem o corpo físico com o perispírito se desfazem lentamente, a começar pelas extremidades e terminando nos órgãos principais, cérebro e coração. Assim, o desligamento total somente ocorre com o rompimento definitivo do último cordão fluídico que ainda liga ao corpo. Afirmam ainda que se o espírito estiver ligado ao corpo não sofrerá dores, porque o cadáver não transmite sensações ao espírito, mas transmite impressões extremamente desagradáveis, além do trauma decorrente do desligamento violento.

Kardec, na questão 164 de O Livro dos Espíritos, faz a seguinte indagação:

_ “Todos os Espíritos experimentam, num mesmo grau e pelo mesmo tempo, a perturbação que se segue à separação da alma e do corpo?”

E a resposta é a seguinte:

_ “Não, pois isso depende da sua elevação. Aquele que já está depurado se reconhece quase que imediatamente, porque se desprendeu da matéria durante a vida corpórea, enquanto o homem carnal, cuja consciência não é pura, conserva por muito mais tempo a impressão da matéria”.

Sócrates (o filósofo) respondia com justeza aos seus amigos que lhe perguntavam como ele queria ser enterrado:

“Enterrai-me como quiserdes, se puderdes...”

Pesquisas e Texto de Ray Pinheiro.

Imagem retirada do site: Telepatia Sonhos Lúcidos e Magia

11 de nov de 2010

Minha alma


Levem tudo, fiquem com tudo!
A minha alma está comigo. Nela, residem todas as minhas existências e riquezas: todo o meu Ser.

(Simone Anjos)
Imagem: by Tomo Yun

9 de nov de 2010

8 de nov de 2010

NÓS NOS TORNAMOS DOENTES?

Por Natan-Kadan*

Sem saúde não há vontade firme, não há alegria, não existe mesmo disposição para o trabalho e para o amor. Todas as doenças são autocriadas. Até os médicos mais conservadores começam a perceber como é que as pessoas adoecem a si mesmas. Sempre que o homem se vê como culpado, a enfermidade torna-se inevitável. A maioria o faz de uma forma verdadeiramente inconsciente (não sabem o que estão fazendo). Por isso, quando ficam doente, não sabem o que foi que as atacou. Isto acontece porque a maioria das pessoas passa pela vida inconscientemente – e não apenas em questões de saúde e as suas conseqüências. A verdade é que muitas pessoas se matam de inquietação.

A inquietação é a pior forma de atividade mental que existe – a seguir ao ódio, que é profundamente destrutivo. A inquietação é inútil. É um desperdício de energia mental. Cria reações bioquímicas que prejudicam o organismo, causando tudo, desde a indigestão à parada cardíaca. A inquietação é a atividade de uma mente que não entende a sua ligação com a FORÇA CÓSMICA SUPERIOR.

O ódio é o estado mental mais seriamente prejudicial. Envenena o corpo e os seus efeitos são praticamente irreversíveis.

O medo é o oposto de tudo aquilo que és e por isso tem um efeito de oposição na saúde física e mental. O medo é a inquietação ampliada.


Inquietação, ódio, medo – juntamente com os seus derivados: ansiedade, amargura, impaciência, avareza, antipatia, criticismo e condenação – atacam, todos eles, o organismo ao nível celular. Nessas condições é impossível ter um corpo saudável.

Analogamente – embora num grau ligeiramente inferior –, a presunção, a auto-indulgência e a ganância conduzem à doença física.

Todas as doenças são primeiro criadas na mente. Nada acontece na vida – nada – que não seja primeiro um pensamento. Os pensamentos são como ímãs que atraem os efeitos. O pensamento poderá não ser sempre óbvio, como, por exemplo, “Vou contrair uma doença terrível”. O pensamento pode ser muito mais sutil: “Não mereço viver”; “A minha vida é sempre uma complicação”; “Sou um fracassado”; “Deus vai me castigar”; “Estou farto da minha vida”.

A mente está destruída por pensamentos negativos. Alguns são infligidos. Muitos são criados – evocados – e depois, acolhidos e alimentados durante horas, dias, meses, anos. Todos que pedem a enfermidade condenam-se a buscar por medicamentos que não podem ajudar, porque a sua fé está na enfermidade e não na salvação.

O corpo foi criado para durar eternamente. Os primeiros homens viveram sem sofrimento e sem medo da morte. Você é o corpo da FORÇA CÓSMICA SUPERIOR! Jesus de Nazaré disse a inevitável verdade: “Eu e o Pai somos um só”.

Os cientistas já constataram que construímos um novo corpo de onze em onze meses – portanto, do ponto de vista físico, temos apenas onze meses de idade. Se você constrói um corpo imperfeito, com pensamentos negativos, o único responsável será você mesmo. Você é a soma total de todos os seus pensamentos. Não há nada que a mudança dos pensamentos não possa afetar, pois todas as coisas externas são apenas sombras de uma decisão já tomada. Mude a decisão. Mudando a decisão, como poderá a sua sombra ficar inalterada?

Se fala constantemente das suas doenças e sintomas, impede a ação cinética, que significa a libertação do poder de curar e da energia da sua mente subconsciente. Pela lei da sua própria mente, as imagens negativas tendem a tomar forma. Por exemplo: a raiva se localiza no pescoço; o medo nas costas e nos ombros; a tristeza, a angústia e a ansiedade se concentram no tórax e no diafragma; as dificuldades sexuais comprometem a pélvis; problemas localizados nas pernas e nos pés são resultados de insegurança.

A criança normal vem ao mundo com saúde perfeita, com todos os seus órgãos funcionando normalmente. Este é o estado normal – e deveríamos permanecer pela vida afora com saúde e vitalidade. O instinto de conservação é o mais forte instinto da natureza humana, constituindo uma verdade poderosa, sempre presente e constantemente em ação, inerente à própria natureza humana. É óbvio, portanto, que todos os nossos pensamentos, idéias e crenças possuem força maior quando estão em harmonia com o princípio da vida inato que há em nós e que está sempre procurando preservar-nos e proteger-nos. Por isso é que as condições normais podem ser restauradas com a maior facilidade.

Nós não nascemos doentes, nós nos tornamos doentes. Assim como somos capazes de nos fazer adoecer, também somos capazes de nos curar. É anormal estarmos doentes – significa simplesmente que estamos indo contra a corrente da vida e pensando negativamente. A lei da vida é a lei do desenvolvimento. Toda a natureza testemunha o funcionamento desta lei, expressando-se, silenciosa e constantemente, através da lei do crescimento. Onde há desenvolvimento, deve haver vida; onde há vida, deve haver harmonia; e onde há harmonia, deve haver saúde perfeita.

Há quem diga que a vida é uma escola e que estamos aqui para aprender. Nós não estamos aqui para aprender, estamos aqui para recordar e recriar Quem somos. A escola é um local onde vamos para aprender alguma coisa que não sabemos. A vida é uma oportunidade de experenciar o que já sabemos. Por isso, não precisamos aprender nada. Precisamos apenas de recordar o que já sabemos e agir com base nisso. A nossa função na Terra não é, portanto, aprender, porque já sabemos, mas relembrar Quem Somos. A FORÇA CÓSMICA SUPERIOR, ao nos criar, deu a cada um de nós o poder de criar que Ela possui como um todo. O nosso corpo físico não se assemelha à FORÇA CÓSMICA SUPERIOR, embora a FORÇA CÓSMICA SUPERIOR possa adotar qualquer forma física que queira. Isso apenas significa que a essência é a mesma. Somos feitos do mesmo estofo. Somos o mesmo estofo, com as mesmas características e capacidades – incluindo a capacidade de criar uma realidade física a partir do próprio ar.

Não tens hipótese de não seres quem és: um espírito puro criativo, que sempre foi e que sempre será. É e sempre foi, e sempre será, uma parte divina do todo Divino.


* NATAN-KADAN  - TERAPEUTA HOLÍSTICO
FORMAÇÃO HOLÍSTICA EM : Parapsicologia pelo Centro de Parapsicology and Mind Control Joseph Murphy

FORMAÇÃO COMPLEMENTAR:Participação de uma Sociedade Hermética de Magia sendo discípulo do mago Kaanda-Ananda – mentor do escritor Paulo Coelho.
Cura Quântica I, II e III (Reiki Magnificado)
Orixá Reiki
Voronandeck & Melchisedeck.

OUTROS:Desenvolveu os Florais Quânticos de Merlin com a orientação dos Mestres da Fraternidade Branca.
Canalizador do Reiki Glorificado por Saananda, da Mesa Alquímica, da Vortiônica e da Terapia Bio-Quântica. Ministra desde 2006 o Máster de Ciências Exotéricas e Esotéricas pela internet.
Saiba mais sobre o Metafísico Natan Kadan do Espaço Transmutação Bioenergética Saint Germain e seu trabalho acessando: Portal Saint Germain  ou entre em contato: mailto:contatodoportal@hotmail.com

Nota: Publicamos esse texto com a gentil autorização, via e-mail, do autor. Obrigada Natan.

7 de nov de 2010

Que Campos Criamos e Sintonizamos

(...) As pessoas querem o futuro. Porém, almejam algo ainda utópico, sem a consolidação interior do significado da existência. Acreditam que devem ser felizes baseando-se nos princípios que construíram em cima de uma realidade restrita aos limites físicos. Não incorporaram os paradigmas quânticos, que poderiam levar a uma maior compreensão do sentido e significado da existência. Não têm noção da continuidade do eu nem do valor da conectividade. Vivem sem muita elaboração. Não entendem o grande valor do momento presente nem dão importância ao eterno agora, isto é, ao momento presente. Vivem, mas não aprenderam a degustar a vida em cada momento, isto é, a sentir cada instante como sendo um estado de espírito que se eterniza na mente.

As idéias quânticas devem contribuir para que o ser humano compreenda a dimensão do silêncio. Compreenda o valor de se prestar atenção ao que ocorre entre um pensamento e outro, ao que ocorre em nossa mente. É naquele silêncio que “ouvimos” a “voz” interior que vem do incognoscível de nós mesmos. Para realizar essa façanha, é preciso admitir que tudo o que pensamos é conseqüência de algo que se passa em nosso Inconsciente, cuja acessibilidade não ocorre diretamente. É preciso entender que, nas dimensões disponíveis ao Espírito, muita coisa acontece que interfere na consciência de agora.


O campo promovido pelo silêncio, ao ser percebido pelo ego, deverá levar à quietude, ao ritmo suave e à redução do barulho mental. Isso permitirá a construção da paz interior e da plenitude a cada momento.

Autor: Adenáuer Novaes

(Texto extraído do Livro de Adenáuer Novaes: “Psicologia e Universo Quântico – Um olhar sob o paradigma espiritual”, Capítulo "Que Campos Criamos e Sintonizamos, pgs.166-167)

Nota: Conheçam mais sobre o autor e seus trabalhos, visitem: Fundação Lar Harmonia

Imagem: www.baixaki.com.br

2 de nov de 2010

Nosso Espírito

Por que estamos no mundo? O que pretende Deus de nós?

Sabendo que Deus é inteligência suprema, causa primária de todas as coisas, eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente bom e justo, estas são sempre as duas perguntas que nos fazemos.

Sabemos que o homem é um espírito, ou alma, se preferes dizer, encarnado em um corpo material, mas, por que veio ele habitar neste planeta, entre milhões de estrelas deste universo imenso?

Nosso planeta é considerado pela espiritualidade, um planeta de provas e expiações, no entanto, procuramos nele a felicidade e essa é, naturalmente, a meta de todo o individuo.

Mas por que tanto sofrimento? Porque não procuramos a evolução no nosso espírito. Caímos, levantamos, caímos novamente, sem nos darmos conta de que somente cresceremos com o amor e o perdão.

E é tão difícil assim perdoar? É difícil porque nos falta o conhecimento das leis morais de Deus. Nosso orgulho nos domina, nosso egoísmo nos transforma em seres maus.

Mas quando olhamos para o infinito e sentimos a presença de Deus na beleza do Universo, em toda a Natureza, então nos damos conta que algo mais encontra-se incógnito em nossas vidas. E começamos a ter fé na sabedoria do Pai que criou os mundos e a nós, seres hoje em diversos graus de evolução.

Mas para que evoluir se ao morrer nos transformaremos em pó? Ledo engano! Ao morrer, quando nos damos conta de que a vida continua, nossa existência passa frente aos nossos olhos, e nossas faltas nos parecem enormes. No entanto, Deus que é Pai, não nos envia para o inferno, porque ele não existe, mas o sentimos em nossa consciência. O Pai amado, nos oferece a oportunidade de reencarnar, exatamente para que possamos nos reajustar perante as leis do amor.

E perante essa grandeza caímos de joelhos implorando seu perdão. Então, planejamos ou nos é planejada nossa vida material, exatamente com aquelas pessoas com quem falhamos.

Diante de tanta perfeição, por que te atormentas tanto? Diante de tanta justiça, por que não pensas em ser melhor?

Por que não começar a ver nosso próximo como nosso verdadeiro irmão sem nos fixarmos em sua raça ou cor, vendo nele somente um companheiro da jornada evolutiva a caminho da evolução.

Assim, passarás a ver a vida exatamente como ela é: com paz, alegria e imensa vontade de viver.

Poderás caminhar, respeitando o próximo e enxergando mais além, sabendo o quanto nos prejudicam o ódio e o rancor.

Um dia teremos de nos harmonizar com nossos semelhantes, pois sabemos que muito nos será cobrado até que venhamos a ter a capacidade de amá-lo.

Ama o teu próximo:

- Aquele por quem tens rancor, poderá ter sido tua mãe, tua irmã, tua filha. Nunca desprezes a ninguém.

- Ama a humanidade, perdoa o infeliz que não compreende teus princípios e tua fé. Independente de tua religião, ama sempre.

Lembre Deus é amor. Este é o caminho para tua felicidade.

Se cada um fizer sua parte, a humanidade em breve se reformará.

Pense nisso!

Texto de Léa Caruso
(Sobre as leis da espiritualidade)

Imagem:Iftk.com.br

25 de out de 2010

Sobre o Amor, Rosas e Espinhos.

Amor, que é amor, dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor. O amor resiste à distância, ao silêncio das separações e até as traições. Sem perdão não há amor.

Diga-me quem mais você perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem mais amou. O amor é uma equação onde prevalece a multiplicação do perdão. Você percebe no momento em que o outro fez tudo errado, e mesmo assim você olha nos olhos dele e diz: “Mesmo fazendo tudo errado, eu não sei viver sem você. Eu não posso ser nem a metade do que sou se você não estiver por perto”.

O amor nos possibilita enxergar lugares do nosso coração os quais sozinhos jamais poderíamos enxergar. O poeta soube traduzir bem quando disse: “Se eu não te amasse tanto assim, talvez perdesse os sonhos dentro de mim e vivesse na escuridão. Se eu não amasse tanto assim, talvez não visse flores por onde eu vi, dentro do meu coração!”

Bonito isso. Enxergar sonhos que antes eu não saberia ver sozinho. Enxergar só porque o outro me emprestou os olhos, socorreu-me em minha cegueira. Eu possuía e não sabia. O outro me apontou, me deu a chave, me entregou a senha.

Evangelizar talvez seja isso: descobrir jardins em lugares que consideramos impróprios. Os jardineiros sabem disso. Amam as flores e por isso cuidam de cada detalhe, porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado. A cada dia, o jardineiro perdoa as suas roseiras. Sabe identificar que a ausência de flores não significa a morte absoluta, mas o repouso do preparo.

Quem não souber viver o silêncio da preparação não terá o que florir depois...

É preciso aprender isso. Olhar para aquele que nos magoou e descobrir que as roseiras não dão flores fora do tempo, tampouco fora do cultivo. Se não há flores, talvez seja porque ainda não tenha chegado a hora de florir. Cada roseira tem seu estatuto, suas regras... Se não há flores, talvez seja porque até então ninguém tenha dado a atenção necessária para o cultivo daquela roseira.

A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só. Elas não sabem viver sozinhas... Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá de saber que com ela vão inúmeros espinhos. Mas não se preocupe, a beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos...ou não.

O amor é equação onde prevalece a multiplicação do perdão.

Autor: Padre Fábio de Melo.

Imagem: Free2use.it

24 de out de 2010

Esse Tal de Tao

 A Sabedoria do Silêncio Interno
          (Texto Taoista)

Pense no que vai dizer antes de abrir a boca.
Seja breve e preciso, já que cada vez que deixa sair uma palavra, deixa sair uma parte do seu Chi (energia). Assim, aprenderá a desenvolver a arte de falar sem perder energia.

Nunca faça promessas que não possa cumprir. Não se queixe, não utilize palavras que projetem imagens negativas, porque se reproduzirá ao seu redor tudo o que tenha fabricado com as suas palavras carregadas de Chi. Se não tem nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor não dizer nada.


Aprenda a ser como o espelho: observe e reflita a energia.

O Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu, porque aceita, sem condições, os nossos pensamentos, emoções, palavras e ações, e envia-nos o reflexo da nossa própria energia através das diferentes circunstâncias que se apresentam nas nossas vidas.

Se se identifica com o êxito terá êxito. Se se identifica com o fracasso, terá fracasso. Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas do conteúdo da nossa conversa interna.

Aprenda a ser como o universo, escutando e refletindo a energia sem emoções densas e sem preconceitos. Porque, sendo como um espelho, com o poder mental tranqüilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor com as suas opiniões pessoais, e evitando reações emocionais excessivas, tem oportunidade de uma comunicação sincera e fluida.

Não se dê demasiada importância, e seja humilde, pois quanto mais se mostra superior, inteligente e prepotente, mais se torna prisioneiro da sua própria imagem e vive num mundo de tensão e ilusões.

Seja discreto, preserve a sua vida íntima. Desta forma, libertar-se-á da opinião dos outros e terá uma vida tranqüila e benevolente invisível, misteriosa, indefinível, insondável como o TAO.

Não entre em competição com os demais, a terra que nos nutre dá-nos o necessário. Ajude o próximo a perceber as suas virtudes e qualidades, a brilhar. O Espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, cria conflitos.

Tenha confiança em si mesmo.

Preserve a sua paz interior, evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros. Não se comprometa facilmente, agindo de maneira precipitada, sem ter consciência profunda da situação. Tenha um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta e só então tome uma decisão. Assim desenvolverá a confiança em si mesmo e a Sabedoria.

Se realmente há algo que não sabe, ou para que não tenha resposta, aceite o fato. Não saber é muito incômodo para o ego, porque ele gosta de saber tudo. Mas, na realidade, o ego nada sabe, simplesmente faz acreditar que sabe.

Evite julgar ou criticar.

O TAO é imparcial nos seus juízos: não critica ninguém, tem compaixão infinita e não conhece a dualidade. Cada vez que julga alguém, a única coisa que faz é expressar a sua opinião pessoal, e isso é uma perda de energia, é puro ruído. Julgar é uma maneira de esconder as nossas próprias fraquezas.

O sábio tolera tudo sem dizer uma palavra.

Tudo o que incomoda nos outros é uma projeção do que não venceu em si mesmo. Deixe que cada um resolva os seus problemas e concentre a sua energia na sua própria vida.

Ocupe de si mesmo, não se defenda. Quando tenta defender-se, está a dar demasiada importância às palavras dos outros, a dar mais força à agressão deles. Se aceita não se defender, mostra que as opiniões dos demais não o afetam, que são simplesmente opiniões, e que não necessita de os convencer para ser feliz.

O silêncio interno torna-o impassível. Faça uso regular do silêncio para educar o seu ego, que tem o mau costume de falar o tempo todo.

Pratique a arte de não falar. Tome algumas horas para se abster de falar. Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do TAO ilimitado, em vez de tentar explicar o que é o TAO.

Progressivamente, desenvolverá a arte de falar sem falar, e a sua verdadeira natureza interna substituirá a sua personalidade artificial, deixando aparecer a luz do seu coração e o poder da sabedoria do silêncio. Graças a essa força, atrairá para si tudo o que necessita para a sua própria realização e completa libertação. Porém, tem que ter cuidado para que o ego não se infiltre... O poder permanece quando o ego se mantém tranqüilo e em silêncio.

Se o ego se impõe e abusa desse poder, este converter-se- á num veneno, que o envenenará rapidamente. Fique em silêncio, cultive o seu próprio poder interno. Respeite a vida de tudo o que existe no mundo. Não force, manipule ou controle o próximo.

Converta-se no seu próprio Mestre e deixe os demais serem o que têm a capacidade de ser.

Por outras palavras, viva segundo a via sagrada do TAO.

Imagem: Papéis de parede Nova Era

Nota: Recebi esse texto por e-mail em PPS sem o nome de quem o organizou na língua portuguesa.

20 de out de 2010

Divagações

Indagações, divagações.
Céu azul, sol ardente.
Suave e cálida brisa que invade a minha alma e encontra o vazio.
Hoje me encontro assim, apática, divagando entre um pensamento e outro, sem me fixar em nada.

Querendo mudanças, internas e externas,
são tantas as questões a serem revistas.
Vida, bela vida, com tantos caminhos, tantos meandros.

Um dia sobe, outro desce, igual a gangorra, igual a Roda da Samsara. E aqui estou eu, talvez fugindo do agora, percorrendo pelo passado sem volta, viajando pelo futuro incerto. Sinto a presença de Maya, com o seu véu superficial, querendo me enredar.

Sinto-me, por algum momento, prestes a ceder aos seus encantos, como é mais fácil não lutar, entregar-se e viver ao sabor das ondas...
Como não sucumbir aos artífices sedutores de uma vida ilusória, sem verdades, sem pensar, sem atuar, ser conduzida...

“Pai, afasta de mim este cálice!”. É preciso resistir, não resistindo, aceitar, não aceitando, lutar não matando, nem morrendo.

Tomar as rédeas da minha verdade, da minha vontade, da minha direção...
E assim seguir a vida, a doce e bela vida.

Só divagações.

Beijos na alma,
Simone Anjos

Imagem: Free2use.it


17 de out de 2010

MEDICINA E ESPIRITISMO - Final


Esta é a última parte da palestra sobre Medicina e Espiritismo proferida pelo Dr.José Carlos Pereira Jotz*.

Tabaco, álcool, drogas, excesso no sexo e na alimentação, são de livre opção atual, não incursos originalmente no processo evolutivo de ninguém. Quem a qualquer deles se vincula, colherá o efeito prejudicial, não se podendo queixar ou aguardar solução de emergência. Temos a tendência a justificar pela hereditariedade os nossos “desvios de conduta”. Escolhe-se começar a fumar (precisando perseverança para aprender a engolir fumaça); escolhe-se começar a beber (precisando superar a barreira do gosto amargo ou da sensação de queimação na garganta); escolhe-se abusar na alimentação (para isso não se precisa esforço, basta apenas a desculpa para os fatos que ocorrem - come-se demais por estar triste ou por estar alegre; por conquistar algo que desejava ou por não conquistar; para comemorar quando começa o namoro ou para esquecer quando rompe o namoro - enfim, para tudo existe motivo para nos “agraciarmos com a comida”); escolhe-se abusar do sexo (nossos impulsos ainda estão presentes na quase totalidade das almas, e quando não conseguimos perceber a realidade do espírito, concentramos nossa atenção nos prazeres da carne). A hereditariedade presente nestes casos tem relação com a nossa vontade. Posso ser membro de uma família que há dez gerações tem problemas de alcoolismo. Posso ter o gene pois participo desta “comunidade espiritual” há muitos séculos, mas EU escolho continuar nesta caminhada de uso do álcool ou não. O gene não estimula a beber, o gene sinaliza que a pessoa tem problema com o álcool. Por que os outros podem beber só um pouco e eu não? Porque possivelmente eles até o momento não tenham abusado do uso em alguma encarnação, gerando desequilíbrios na sua estrutura perispiritual. Pode ser que nunca venham a cometer ou venham a fazê-lo em outro instante. O importante é prestar atenção em como eu reajo. Se eu observo que cometo abusos, se os outros falam que cometo excessos, a melhor alternativa é não usar.

E a energia vital. Como equilibrá-la? De um ponto de vista energético, o corpo físico debilitado oscila numa freqüência diferente daquela quando em estado saudável. Temos um nível de energia quando estamos bem e outro nível quando estamos mal.


Quando a pessoa é incapaz de alterar o seu modo energético para a freqüência adequada, talvez seja necessário aplicar-lhe certa dose de energia sutil, o que pode fazer com que seus sistemas bioenergéticos passem a vibrar de forma apropriada. São os momentos em que precisamos de uma ajuda externa para equilibrar o meio interno. Quando passamos muito tempo em desequilíbrio, começamos a apresentar sintomas. O ideal é que consigamos perceber a alteração na energia antes e começar a reequilibrá-la o mais cedo possível.

Existem formas de tratamento que interagem também com a energia do ser humano como a acupuntura, a homeopatia, a antroposofia, a cromoterapia, os florais, os fatores de auto-organização, os elixires de pedras preciosas, o passe magnético, a prece, a água fluída, etc. Muitas destas formas de tratamento encontramos nas casas espíritas (passes, água fluida, cromoterapia, em algumas casas ainda se utiliza a homeopatia sob a supervisão de médicos homeopatas) e as demais com os profissionais da área da saúde. No entanto, a medicina não deve ter como foco apenas o tratamento do corpo, pois desta forma não obterá a cura, apenas melhora dos sintomas. Por este motivo, as formas de tratamento relacionadas acima são importantes de serem utilizadas, mesmo associadas a tratamentos clínicos convencionais, pois são auxiliares para o re-equilíbrio do corpo, da mente e do espírito.

Pesquisas realizadas com ajuda de clarividentes sugerem que as doenças iniciam-se primeiramente no corpo etérico e em outros veículos de freqüências superiores. Neste caso os sinais de doenças poderão ser percebidos no corpo etérico antes que seja possível detectá-los no corpo físico. Isto vem ao encontro do que o espiritismo já dizia: as perturbações iniciam com os sentimentos desequilibrados afetando o perispírito, e posteriormente provocando alterações na mente e no corpo físico. O ideal é que se possam detectar as doenças num estágio suficientemente precoce para que impeça a manifestação física da doença no nível celular. No momento em que isto começar a ser feito, muitas doenças deixarão de ser vistas com tanta freqüência.

A doença é o caminho pelo qual o ser humano pode seguir rumo à cura. Quanto maior for nossa compreensão, maior nosso aproveitamento das coisas que nos cercam. O inconsciente é sábio e dá uma dica do que está afetando o equilíbrio do todo. Nós é que precisamos aprender a reconhecer a linguagem da mente e suas influências no corpo. A cura acontece através da incorporação daquilo que está faltando e, portanto, ela não é possível sem uma expansão da consciência. Precisamos expandir nossa consciência aprendendo a identificar o que os nossos sentimentos provocam como resposta. Ninguém sente ódio ou inveja sem uma conseqüência em si mesmo. É preciso perceber as reações que surgem em nós quando emitimos estas vibrações.

O desenvolvimento de valores como paciência, humildade, bondade, perdão, tolerância, caridade e amor, são características de consciência plenamente desperta, de unidade perfeita e de perfeito entrosamento de Deus para com o homem. Este é o caminho da cura. Não conquistaremos a cura plena sem o desenvolvimento destas qualidades. Até lá, continuaremos doentes do espírito, com corpos aparentemente saudáveis. Precisamos nos aproximar do Pai Maior. Ele é o nosso equilíbrio. Estar com Ele significa estar curado. Lembremos disto todos os dias, principalmente dentro do lar, com aquele irmão ou irmã que pode neste momento estar atrapalhando a nossa leitura. Ele ou ela é apenas um instrumento para nos mostrar que ainda somos imperfeitos, e que precisamos nos esforçar mais. Chega de deixar para amanhã. Chega de deixar para a próxima encarnação. Chega de pensar apenas nos prazeres do corpo. Dediquemos alguns minutos do dia para meditar, refletir, vibrar a mente positivamente. Passamos horas na academia, no salão de beleza, no restaurante, nas casas de massagem, nas discotecas, nos campos de futebol, e reclamamos quando temos de ir tomar um passe ou fazer o evangelho no lar. Não podemos alegar que não fomos avisados. Os sinais estão por toda parte. Apenas nós insistimos em negá-los.

E quais são as responsabilidades de médico e paciente no processo de cura? Qual é o papel do espiritismo neste processo?

O princípio mais importante para a medicina que trabalha com as vibrações é o conceito de que os seres humanos são sistemas dinâmicos de energia que refletem os padrões evolutivos do crescimento da alma. Embora nossos corpos nem sempre identifiquem qual o estado de nosso espírito (graças à bondade divina temos a oportunidade de uma roupagem nova a cada encarnação, adequada para as lições que precisamos aprender), ele vibra dentro de um padrão que revela o quanto já conseguimos evoluir. Determinadas pessoas, com capacidade intuitiva ou mediúnica mais desenvolvida, conseguem, simplesmente olhando para outra pessoa, identificar o que se passa no seu interior. Nós também aprenderemos a fazer isto quando deixarmos de prestar atenção apenas no nosso umbigo e nos ligarmos mais com os planos superiores. Lembremos que amar a si mesmo não significa esquecer do outro. Precisamos crescer em conjunto, aprendendo a nos valorizar como participantes da criação, com qualidades em desenvolvimento e defeitos em processo de correção, e continuar desenvolvendo o amor ao nosso semelhante

O médico não deve ser apenas um agente promotor da cura, mas também um educador. No entanto, o paciente é o principal responsável pela sua cura. Se prestarmos atenção, muitos médicos hoje já executam este trabalho de orientação com relação a medidas de higiene, alimentação, exercícios. Os psiquiatras já fazem a orientação quanto aos aspectos emocionais. No futuro todos os médicos terão como parte do seu labor o objetivo de desenvolver e lembrar da importância da espiritualidade de cada um, o que muitos já estão a realizar. É muito mais fácil tomar um comprimido que proporcione um rápido “conserto” do organismo, do que modificar os hábitos potencialmente insalubres que possam estar contribuindo para o problema da saúde. Devemos deixar de esperar apenas que os comprimidos ou o tratamento médico atuem e começar a utilizar o potencial da nossa mente na busca do equilíbrio perdido. Precisamos deixar de lado a preguiça ou a posição de criança que fica emburrada quando tem de fazer algo que não gosta, e lembrar que, quando a doença aparece é porque fizemos demais as coisas que gostávamos, sem pensar nas conseqüências. Tem gente com orientação para andar mais e comer menos, mas prefere tomar remédio porque é mais fácil.

Cada ser humano é responsável pela busca do seu equilíbrio, da sua harmonia. O espiritismo auxilia no tratamento da consciência humana, lhe apresentando novos valores, educando o espírito. Com o conhecimento das informações a respeito do espírito e da vida na espiritualidade, temos a necessidade de direcionarmos a nossa atenção também para esta realidade. Somente através da educação do espírito conseguiremos atingir os planos superiores. O espiritismo, como o consolador prometido, tem auxiliado inúmeras almas a se despertarem do torpor de séculos anestesiados pelos prazeres físicos ou no revide de atos praticados contra a honra ou os interesses materiais.

Muitos pacientes só adotam hábitos mais saudáveis após algum acontecimento traumático ou o diagnóstico de uma doença grave. Infelizmente ainda não aprendemos as lições que o Evangelho nos transmite. Quando se diz que precisamos ter fé, que temos o amparo da espiritualidade maior, isto significa que, mantendo-nos ligados com os planos superiores, em pensamentos, atos e atitudes, em comportamentos e sentimentos, estaremos sempre contando com o apoio dos benfeitores espirituais, que contam conosco para que a mensagem que Jesus trouxe se cumpra em todos os corações. No entanto, temos a mania de pensarmos que nunca nenhum mal nos acontecerá porque vamos semanalmente na casa espírita ou fazemos o evangelho no lar. Ao mesmo tempo descuidamos das necessidades do corpo: nunca não praticamos nenhum tipo de exercício físico (porque não gostamos); não dormimos o suficiente para recuperar as energias (porque achamos que dormir "é perda de tempo"); abusamos da alimentação dizendo não ser possível ficar sem um determinado alimento como doces, pães, chocolates, etc (porque pode estragar ou os outros vão comer); não conseguimos deixar de beber ou de fumar (porque sem eles não se consegue ficar calmo), como se tivéssemos nascidos condenados a sermos dependentes destas substâncias. É muito comum descobrirmos que éramos capazes deste autocontrole quando surge um diagnóstico de doença grave ou incurável. Por que antes não era possível? Somente voltamos os nossos sentidos ao Pai Maior quando estamos em aperto? Continuamos sempre esperando que o milagre aconteça, havendo a cura do dia para a noite. E a nossa parcela de comprometimento com esta recuperação? O Pai sempre perdoa, mas após ser feita a semeadura, a colheita é obrigatória.

O médico do futuro combinará o conhecimento científico e o conhecimento espiritual a fim de promover a cura em todos os níveis. Esta é uma expectativa. Não consigo pensar em cura do corpo e da mente sem o equilíbrio do espírito. Como tendemos a uma evolução, acredito firmemente que venceremos a materialidade e nos ligaremos mais com os planos superiores. Os médicos apresentarão uma intuição mais clara, percepção dos miasmas impressos no campo perispiritual e, conseqüentemente, saberão orientar o que cada paciente precisará trabalhar naquele momento quanto aos sentimentos e emoções.

MUITA LUZ, PAZ, HARMONIA E SAÚDE A TODOS


*José Carlos Pereira Jotz é arquiteto, médico. Mestre em Ciências da Saúde: Cardiologia pela Fundação Universitária de Cardiologia / Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul. Trabalhador da Sociedade Espírita Bezerra de Menezes, em Porto Alegre – RS e Colaborador da Federação Espírita do Rio Grande do Sul. Com a finalidade de esclarecer, orientar e compartilhar aprendizados e conhecimentos a respeito das questões de saúde e espiritualidade, Sr. Jotz escreveu dois livros: “Espírito Saudável: Mente Sã e Corpo São” e “Estresse e Hipertensão Arterial”, este é o primeiro volume da coleção “Harmonizando o Espírito – Exercícios Terapêuticos”. Conheça melhor o autor e seus trabalhos acessando o site: http://www.josecarlosjotz/

Nota: A divulgação desse material em nosso blog foi autorizada, via e-mail, pelo autor, ao qual somos gratos por essa gentileza.

Imagem retirada da internet, caso tenha direitos autorais favor nos avisar que a retiramos do blog imediatamente.

LEIA TAMBÉM: MEDICINA E ESPIRITISMO - Parte I
MEDICINA E ESPIRITISMO - Parte II

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anjos do Toque

Toques Iluminados e Amigos